Resenha: Redenção de Um Cafajeste - Nana Pauvolih

14/12/2016

Redenção de Um Cafajeste
Redenção # 1
Nana Pauvolih
Ano: 2015 / Páginas: 560
Idioma: português 
Editora: Rocco Fábrica231
Pioneira da autopublicação no segmento erótico nacional, com mais de um milhão de visualizações de suas histórias na plataforma online Wattpadd e sucessivos primeiros lugares na lista dos e-books mais vendidos da Amazon, Nana Pauvolih estreia na Rocco com a trilogia Redenção, um de seus maiores sucessos. Lançamento da coleção Violeta, do selo Fábrica231, Redenção de um cafajeste, o primeiro volume da série, conta a história de uma garota simples, que sonha terminar a faculdade e ser professora, e se envolve com um empresário sem escrúpulos. Uma história que mistura doses certeiras de paixão, romantismo e erotismo, tendo o Rio de Janeiro como cenário.
Em Redenção de Um Cafajeste, a autora narra a história de uma garota simples, que sonha terminar a faculdade e ser professora, e que conhece um empresário, dono de uma das revistas masculinas mais escandalosas do país. Uma história que mistura doses certeiras de paixão, romantismo e erotismo, tendo o Rio de Janeiro como cenário. 


Ciao!
“Nossa, que cara safado, sem vergonha e cretino! Ele não vale nada!” #MadreHooligan 
- Quando conheci a Nana, todas só falavam no Antônio, mas ele é o desfecho da Trilogia Redenção. Por isso, vamos ler os amigos dele. E a Nana até comentou que estava curiosa nas opiniões sobre o Arthur que era, digamos, o “mais difícil” dos três, mas que, para entender as razões, eu teria que ler.

- Ok, eu li. E entendi. Passei boa parte do livro irada com o Arthur e outra parte a-m-a-n-d-o a desgraça dele (sim, sou dessas). Uma das minhas eternas reclamações envolve livros onde o protagonista faz o que quer e bem entende, apronta todas e mais algumas e quando a máscara cai e a verdade vem à tona, o que acontece? PERDÃO A JATO! Socorro! Nunca engoli essa coisa de “perdoo tudo por amor”. Há limites para minha capacidade de compreender atitudes e deixar pra trás.

- E Arthur faz um trabalho impecável em tirar qualquer ser humano do sério. Decide que quer Maiana e vai tê-la não importa o custo. Pira quando descobre que ela é virgem e romântica. Se alia a quem não deve, atropela tudo, todos, gnomos e duendes que estiverem no caminho. E o plano dele dá certo: a resistência da garota vira pó e ela cai na rede do sedutor, acreditando que está vivendo uma intensa, apaixonada, passional história de amor. Embora, a gente percebesse as fissuras no romance perfeito, porque Arthur era impulsivo, egocêntrico, só pensava nos próprios desejos, ciumento e julgava Maiana pelo padrão das outras mulheres com quem se relacionou, sendo que ele mesmo ficou louco nela por entender que ela era diferente.

- Mas a casa cai. Lindamente. Maiana descobre a verdade, que foi enganada e “vendida” para o ricaço e, movida pela dor alimentada pela traição, mágoa e orgulho destroçado, arrasa Arthur. E quando digo arrasa, é arrasa mesmo. Como não tem dinheiro que compre o perdão e um recomeço, o ricaço mimado fica desnorteado. Quanto mais ele tenta recuperar, mais piora porque a impulsividade é a marca do homem criado desde pequeno como um “reizinho”, acreditando que todos deveriam fazer as vontades dele. 

- Para agravar, Matheus, um de seus melhores amigos, se torna um rival inesperado, aumentando a ameaça os planos dele. De qualquer forma, leva tempo para você – como Maiana – acreditar que Arthur está realmente arrependido, porque ele age como uma criança mimada de quem foi tirado um brinquedo do qual ele ainda não se cansou. Ai a decisão será da Maiana, viver condenada por uma mágoa ou recomeçar? E o melhor: com quem?

- Só por não ter o perdão a jato já marcou muitos pontos comigo. Só por fazer Arthur sofrer mais que leitora compulsiva sem dinheiro em época de promoção, me deixou muito feliz. Mas o livro serviu a outro propósito: estabeceler uma boa impressão da literatura erótica. Não que eu não tenha tido outras experiências. Além daquela série amada por muitas, menos por mim, houve os históricos muito bons da Jess Michaels e o primeiro de uma trilogia da Maya Banks (que #MadreHooligan leu toda e amou). Aqui tive a chance de ler algo bem escrito e por uma autora nacional – felicidade em dose dupla.

- A saga de Arthur e Maiana me capturou pela trama (eu queria saber o que aconteceria quando a verdade viesse à tona e a maré virasse contra o ricaço); pelas pistas das vidas dos outros dois amigos, que serão os próximos protagonistas da Trilogia (aí sou obrigada a confessar que não foi Antônio – que aparece sim –, mas Matheus, que aparece mais, quem chamou a minha atenção, afinal de contas, não resisto a um “bom moço”). Arthur, como ele mesmo se define, “é o mais normal dos três tarados”.

Não me senti desconfortável com a linguagem direta nas cenas íntimas, sem as metáforas (às vezes) malucas usadas em outros livros. Como Nana me disse na entrevista em junho, “é deixar a porta aberta”. Sexo é uma parte da vida por mais que as regras sociais ditadas por uma sociedade machista tentem castrar as experiências femininas – não estou levantando bandeira, apenas constatando fatos: as mulheres não tem a liberdade de fazer o que quiserem porque levam pedradas e são julgadas por tudo, todos e todas. Voltamos ao mal do “todo mundo se acha no direito de mandar na vida alheia ao invés de cuidar da própria”.

- Enfim, aprovadíssimo por mim e por #MadreHooligan (alguma surpresa se eu contar que os livros foram confiscados para a pilha dela e só depois foi que pude ler? Nenhuma, né?). 

- Como vocês viram no comentário que citei lá no início, ela antecipou as razões pelas quais eu detestaria Arthur, mas me disse que eu iria gostar da reta final do livro. Obviamente, ela acertou. 

- Agora, que venha o “tarado bom moço” Matheus.
Ah, caso você esteja se perguntando sobre o motivo das “”, envolve uma suspeita minha que vou explicar melhor quando escrever sobre o livro dele, ok?

Trilogia Redenção
Redenção de um cafajeste – Arthur Moreno e Maiana Apolinário
Redenção e submissão  – Matthew de Sá Mello e Sophia Marinho
Redenção pelo amor – Antônio Saragoça e Cecília Blanc

Bacci!!!
Beta Oliveira

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Atenção

Oi gente, o blog ganhou um layout novo e como eu migrei do wordpress para o blogger, os posts antigos estão muito bagunçados. Toda mudança gera uma bagunça e não seria diferente por aqui.
Irei arrumando os posts sempre que eu tiver um tempinho, conto com sua compreensão.

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados