Resenha: Pode beijar a noiva – Patricia Cabot

26/12/2016

Pode Beijar a Noiva
Meg Cabot
Ano: 2016 / Páginas: 240
Idioma: português 
Editora: Essência
Quando tudo parece estar perdido para Emma Van Court, que acaba de se tornar viúva, a promessa de uma grande fortuna lhe cai dos céus. Mas há uma condição para abocanhar a herança: ela terá de se casar novamente. Como não se especificou o noivo, todos os homens da pequena Faires, na Escócia, resolvem participar dessa corrida do ouro e passam a disputar as atenções da jovem viúva.Os competitivos pretendentes só não contavam com a presença de James Marbury, primo do falecido marido, Stuart, que chega ao vilarejo para ajudar Emma com os trâmites do inventário. No passado, os dois tiveram uma aproximação, e James ainda nutre fortes sentimentos pela, agora, viúva.Conseguirá ele afastar a horda de interesseiros pretendentes e finalmente se juntar à sua amada?

Ciao!

- PAI AMADO. Não sei quanto da minha paciência duraria com a digníssima Emma. Sabe gente que escolhe o caminho mais difícil e, por mais que tenha chance de sair, se afunda nele? Deem a ela o troféu teimosia, persistência, burrice, “I love complicação”, sei lá como prefiram chamar. A órfã criada pelos Van Court era apaixonada por Stuart, primo de James, que era apaixonado por ela (que não percebeu). Aí a bonita fugiu com o Stuart, disposta a trabalhar na salvação do mundo e na ajuda dos desvalidos. E percebeu que a vida de casada com o homem que ela amava foi beeeeeem diferente do que ela imaginou!



- Um ano depois, tudo estava dando muito errado, MUITO ERRADO mesmo. Então, James Marbury ressurgiu na vida dela. A surpresa dela só não foi maior que a dele, que viu as piores previsões sobre o futuro do primo missionário e da garota solidária que ele amava se confirmarem. O problema é que ele chega ao melhor estilo arrasa-quarteirão e vai topando com informações sobre a nova realidade da jovem que amava. Ah claro, Emma não admite que precisa de ajuda, apoio, conforto. E muito menos conta que é o alvo do interesse de todos os homens solteiros do povoado de Faires – de pescadores ao barão do local – porque, por caminhos tortos e inesperados, se tornou herdeira de uma quantia cobiçada, desde que se case.

- Então temos duas pessoas que se reaproximam apesar dos preconceitos estabelecidos em um momento-chave do passado. James tem um plano: quer finalmente se casar com Emma. Emma não quer que ele descubra várias coisas que ocorreram na sua vida de casada. Para completar, ela não quer se casar, mas o dinheiro ajudaria tanto a manter a escola da comunidade. Só tem uma forma de fazer tudo funcionar: fingir um casamento de conveniência. Em uma história onde todos os planos não se tornam a realidade imaginada, claro que as coisas não vão sair como ela gostaria. No fim das contas, ela terá que se render ao ensinamento de que só a verdade liberta.

- É bonito, fofo, leitura rápida. Só prepare para ter muita paciência com a incapacidade de Emma em ver o óbvio e respeito pela possibilidade de James ser a reencarnação de Jó. Como os caminhos costumam ser tortuosos, torci para ele ser feliz. Apesar da Emma empacada, graças ao jeito da autora contar a história, valeu a pena para ele e para mim.

Bacci!!!


Beta Oliveira

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados