Resenha: Confusões de Um Garoto - Patrícia Barboza

14/09/2016

Confusões de Um Garoto
Patrícia Barboza
Ano: 2016 / Páginas: 168
Idioma: português 
Editora: Verus
Conheça Zeca nesta divertida história sobre as confusões de um adolescente.
Após as férias de verão, Zeca se olhou no espelho e não reconheceu o garoto ali refletido. Ele tinha crescido e mudado muito. Parecia outra pessoa! Estava mais alto, com a voz mais grave, e o que mais causava espanto: seu repentino sucesso com as garotas!
Então veio uma descoberta bastante confusa: ser adolescente não é nada fácil. Não é mais criança, mas também não é adulto ainda. E ali, no meio do caminho, um bocado de coisas novas (e bem estranhas!) passaram a acontecer. Além de lidar com a nova aparência e a popularidade, algumas perguntas começaram a provocar confusões na cabeça de Zeca...
Por que suas irmãs gêmeas viviam se arrumando, tirando selfies e falavam sem parar? Por que certas coisas que antes eram tão legais não tinham mais a mesma graça? Por que o perfume que a Júlia deixou no rosto de Zeca mexeu tanto com ele?
E a principal questão: Por que ele não consegue parar de pensar nela?
Nesta história divertida, você vai acompanhar Zeca enquanto ele navega pelos altos e baixos que surgem com a adolescência e descobre que, seja como for, o importante é ter ao lado as pessoas que amamos.


Ciao!!

- Estamos acostumados a ver tramas narradas por garotas, independente do estilo. É interessante, mas por exemplo, afasta muitos garotos dos livros por conta da bobagem de achar que estão lendo “coisas de garotas”. Por isso, um livro narrado por um garoto oferece um ponto de vista diferente que pode chamar os leitores para saber se compartilham das mesmas experiências.


- Nesta fase da vida, os garotos – já que estamos focados na jornada de Zeca – também passam por várias mudanças, sejam o estirão e as modificações corporais ou a mudança da voz. No caso dele, ainda tinha o fato de conviver bem com os pais separados (creiam, nem sempre isso é possível) e tem a relação habitual com as irmãs gêmeas mais novas (ou seja, não entende quase nada que se passa na cabeça delas). Quando a história começa, ele está aprendendo a lidar com o novo corpo, com a nova voz, com todo mundo estranhando a mudança que ele sofreu durante o verão, com a surpreendente atenção que passou a chamar das meninas. Ah, sim, o típico humor instável da idade. A divergência de interesses com quem antes era amigo pra todas as horas.

- Zeca passa também pela descoberta de como se relacionar com as garotas, a timidez, os foras, as rejeições, a dúvida quando o interesse pode ser real, o ciúme que vem do “além” (que você custa a admitir que é ciúme). Neste caso, ele sempre conta com o apoio dos pais para tentar colocar ordem na confusão mental e emocional que se instala (o que é uma baita sorte dele, porque nem todo mundo tem coragem ou faz isso, preferindo, às vezes, ouvir quem não tem nada de bom para acrescentar)

- E ainda encontra espaço para outros temas que se tornaram comuns nesta idade, como o bullying – que não está mais nem perto de ser aquilo que outras pessoas mais velhas que eu enfrentaram, o tal “ah, todo mundo teve um apelido na vida”. O bullying tem todo um desejo de maldade e de ferir a pessoa em uma proporção que os apelidinhos irritantes nunca tiveram. (Sim, tentaram colocar em mim apelidos irritantes. Sim, soube lidar com eles. Não, não é uma boa lembrança para quem tentou colocar os tais apelidos em mim).

- Como não li a primeira versão, de 2010, não posso listar onde estão os acréscimos da edição revisada e lançada agora pela Verus. De qualquer forma, pra quem já trilhou este caminho, vale para matar a saudade (ou não) de grandes dilemas existenciais vividos entre os 12 e os 15 anos. Além disso, é uma opção para sala de aula para discutir medos, autoestima, formação da identidade, individualidade, laços de amizade, laços de afetividade. Ótimo para levar para os adolescentes para mostrar que cada um deles não está sozinho ao enfrentar os problemas, confusões e outros balacobacos desta fase da vida.

Bacci!!!
Beta Oliveira

Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

4 comentários :

  1. Ele me fez pensar na época de adolescência. Parece ter bastante coisa sobre os medos, dificuldades e coisinhas que passamos nesses tempos. E o legal é por ser narrado por um garoto. É um tanto diferente. E seria uma opção legal mesmo pra se levar pra sala de aula.

    ResponderExcluir
  2. Histórias sobre as confusões dos adolescentes não faz muito meu estilo de leitura, por isso eu dificilmente leria Confusões de Um Garoto...
    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Eu não curto histórias com adolescentes pq tudo tende a ser um drama, mas esse enredo pareceu ser legal. Confesso que o ponto de vista masculino é sempre mais interessante, não me pergunte o pq, e como vc citou são histórias geralmente narradas por um ponto de vista feminino.
    Gostei.

    ResponderExcluir
  4. Acho interessante histórias que mostrem os garotos passando pela adolescência, para mostrar que não só as meninas ficam confusas nessa época, parece ser um livro divertido e que consiga tratar bem de diversos temas

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados