Resenha: Silêncio - Richelle Mead

04/08/2016

Richelle Mead 
Ano: 2016 / Páginas: 280
Idioma: português 
Editora: Galera Record
Um romance de fantasia e aventura da mesma autora de Vampire Academy.
Pelo que Fei se lembra, nunca houve um ruído em seu vilarejo todos são surdos. Na montanha, ou se trabalha nas minas ou na escola, e as castas devem ser respeitadas. Quando algumas pessoas começam também a perder a visão, inclusive a irmã de Fei, ela se vê obrigada a agir e a desrespeitar algumas leis.
O que ninguém sabe é que, de repente, ela ganha um aliado: o som, e ele se torna sua principal arma. Ao seu lado, segue também um belo e revolucionário minerador, um amigo de infância há muito afastado em função do sistema de castas.
Os dois embarcam em uma jornada grandiosa, deixando a montanha para chegar ao vale de Beiguo, onde uma surpreendente verdade mudará
suas vidas para sempre. Fei não demora a entender quem é o verdadeiro inimigo, e descobre que não se pode controlar o coração.



Richelle Mead criou algo que vai na contramão de tudo que já li dela. A única coisa em comum é a garra da protagonista.

Fei vive em um vilarejo no alto de uma montanha, todos são surdos e vivem basicamente do minério que extrai e envia a base da montanha, em retorno recebem o mínimo para sobreviverem. Como todos os acessos a vila estão bloqueados, eles não têm outra alternativa.

No entanto, a vila criou uma espécie de hierarquia, os artistas que devem colocar em imagens tudo o que acontece na vila, para que a história deles não seja esquecida, em primeiro, os serventes em segundo e os mineradores.

Os pais de Fei eram mineradores e morreram jovens, ela tem uma irmã e quando surge a oportunidade de ser artista, ou seja, subir de categoria, ela aceita e coloca como condição que sua irmã também seja, deixando assim qualquer chance de casamento com Li Wen que continua sendo minerador.

Fei começa então a escutar sons e isso a assusta muito porque não consegue identificar a maioria, vai aprendendo com o tempo, mas o ponto de ruptura da situação da vila é a morte do par de Li Wen, que decide descer a montanha para mudar esse modo de vida. Fei como está escutando o convence a levá-la com ele.

Eu já havia imaginado mais ou menos a situação, mas a confirmação ainda conseguiu me espantar. Até onde vai a ganância humana? E o que era aquela hierarquia boba na vila?

Richelle usou folclore, mas não me arrisco a afirmar que é chinês apesar dos nomes das pessoas da vila. Que no caso não chegou a ficar ruim, mas você não tem noção nenhuma de lugar ou data em que a história acontece. Ela realmente não se preocupou com isso, no entanto, eu senti falta do desse contexto porque juro que teve momentos que eu achei que estava em um clã escocês.

Foi uma boa tentativa dela de mudar de cenário, não acho que vá agradar todos os leitores dela, mas para mim vale a leitura. Passei boas horas lendo, mesmo não curtindo certas situações.


Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

5 comentários :

  1. Também acho um ponto negativo a autora não esclarecer o local e data que a história de Silêncio se passa, sempre que leio um livro procuro saber logo essas informações que pra mim são importantes...

    Já li algumas resenhas sobre esse livro e confesso que cada vez mais meu interesse está diminuindo, por isso ele não está na minha lista de leitura mas se ele chegar nas minhas mãos talvez eu arrisque lê-lo...

    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Eu não sei se iria gostar dele, não me animou muito pra ler. Acho a história interessante, é diferente do que já li dela, mas não senti que fui muito bem feito. Sabe, daqueles livros que você fica até doida pra ver uma continuação quando acaba? Porque os que li dela foram assim e não tenho certeza se iria ficar muito feliz com esse. Acho que tem muitas pontas soltas, sei lá.

    ResponderExcluir
  3. É um livro que está dividindo opiniões, eu fiquei surpresa ao saber que a autora se arriscou até em não colocar diálogos, o que muitas vezes deixa a leitura cansativa, veremos..
    Espero não me decepcionar, gostaria que a cultura do Vilarejo fosse bem explorada, mesmo que bizarra

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nada da autora, então não sei como é sua escrita. O que eu queria entender era o título e isso eu peguei, mas no restante achei tudo um tanto confuso. Só lendo mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Sempre quis ler um livro da Richelle e ganhei esse logo no lançamento, sinceramente eu amei muito!!!
    Passei horas muito gostosas lendo,também senti falta de mais detalhes e explicações, mas gostei mesmo assim, achei uma narrativa muito empolgante.
    Embora o final não tenha sido tão revolucionário como eu almejava kkk
    bjss

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Atenção

Oi gente, o blog ganhou um layout novo e como eu migrei do wordpress para o blogger, os posts antigos estão muito bagunçados. Toda mudança gera uma bagunça e não seria diferente por aqui.
Irei arrumando os posts sempre que eu tiver um tempinho, conto com sua compreensão.

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados