Resenha: P.S.: Ainda Amo Você - Jenny Han

02/06/2016

Para Todos os Garotos que Já Amei # 2
Jenny Han
Ano: 2016 / Páginas: 304
Idioma: português 
Editora: Intrínseca
Lara Jean sempre teve uma vida amorosa muito movimentada, pelo menos na cabeça dela. Para cada garoto por quem se apaixonou e desapaixonou platonicamente, ela escreveu uma bela carta de despedida. Cartas muito dela, muito pessoais, que de repente e sem explicação foram parar nas mãos dos destinatários.
Em "Para todos os garotos que já amei", Lara Jean não fazia ideia de como sair dessa enrascada, muito menos sabia que o namoro de mentirinha com Peter Kavinsky, inventado apenas para fugir do total constrangimento, se transformaria em algo mais. Agora, em "P.S.: Ainda amo você", Lara Jean tem que aprender como é estar em um relacionamento que, pela primeira vez, não é de faz de conta. E quando ela parece estar conseguindo, um garoto do passado cai de paraquedas bem no meio de tudo, e os sentimentos de Lara por ele também retornam.
Uma história delicada e comovente que vai mostrar que se apaixonar é a parte fácil: emocionante mesmo é o que vem depois.

Ciao!

- Ah, Lara Jean e a adolescência! Quem nunca sofreu horrores ou transformou uma gota em uma tempestade de raios, trovões e furacões quando era adolescente? Ela se vê sofrendo com todas as confusões, emoções, dúvidas e intensidade do primeiro amor com Peter, que se vê bombardeado pelo vídeo íntimo deles publicado em um site e a repercussão entre amigos, desafetos, professores e família. 

 - A sociedade está sempre pronta para envergonhar a mulher por gostar de sexo e aplaudir o homem – afirma Margot – Todos os comentários são sobre Lara Jean ser piranha, mas ninguém está dizendo nada sobre Peter, e ele está lá com ela. É ridículo como são dois pesos e duas medidas. (p.52)

 Meu corpo é um templo, não é qualquer garoto que pode revereciá-lo.Não vou fazer nada além do que eu queira fazer (p.122)

- Além disso, continuam as mudanças na família: Margot continua estudando na Escócia, Josh está afastado, as meninas querem que o pai namore. E as mesmas coisas de sempre: não poderia ter uma irmã tão invasiva e abusada como Kitty porque seria problemas constantes na certa (mexer nas minhas coisas sem autorização – nem pensar). E aposto que muitas pessoas gostariam de ter o pai das irmãs Song. Ele consegue, mesmo desajeitado, ser uma força que ampara e cuida das meninas, nos melhores e piores momentos.

- Leva muito tempo para Lara Jean entender que na verdade é um período de mudanças, que muitas coisas  - família, amigos, amigas, escola – não serão mais as mesmas. A infância acabou e outros desafios estão surgindo, faz parte do ciclo da vida. Não é algo que pode ser impedido.

- No mais, temos a que ponto uma amizade pode se destruir e por que as pessoas pensam ter direito de expor e ferir as outras. Entendi o destino reservado à Genevieve, mas até pela forma como os outros personagens a descrevem, meu eu escorpiano justiceiro queria algo mais público.

- Sobre John Ambrose e Peter Kavinsky, quem nunca ficou em dúvida entre algo que pode ser e o que poderia ter sido? Lara Jean não entende porque sempre se reservou e fugiu deste tipo de sentimento. Ela sofre com a incerteza se é realmente amada por Peter e tudo serve de comprovação que ela é a segunda opção. Por mais que ele diga o contrário, a onipresença de Genevieve incomoda.  E John Ambrose – descrito como "um Robert Redford mais jovem" (pausa para toneladas de suspiros) – ressurge como a prova de que muitas vezes a gente deixa passar momentos que nem sempre podem ser recuperados depois. 

- O que não é fácil fica ainda pior, porque Lara Jean na maioria das vezes não sabe como agir, sem parâmetro para julgar, insegura com a sombra do relacionamento de Peter e Genevieve, com medo de avançar no relacionamento sem ainda se sentir totalmente pronta, e tentando ficar forte diante das maledicências e das fofocas na escola.

- É fofinho, você lê rápido (li em menos de dois dias), a história flui apesar de ter momentos repetitivos (reclamação feita especialmente por #MadreHooligan. “É bonitinho, mas tem ums momentos enjoadinhos”). Mas sejamos sinceras: a vida, volta e meia, nos brinda com períodos repetitivos e enjoadinhos. A gente não pode, ao contrário dos filmes, fazer um clipe musical dos momentos chatos e voltar a fazer a história andar quando fica mais bonito, divertido, legal ou melhor. O livro segue uma jornada tempestuosa narrada por uma escrita serena sobre como a vida é bonita, é má e inevitável. 

Duologia: Para Todos os Garotos que Já Amei (To All the Boys I've Loved Before)
  1. Para todos os garotos que já amei - To all the boys I’ve loved before 
  2. P.S: Ainda amo você - P.S.: I still love you
Bacci!!!
Beta Oliveira

Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

6 comentários :

  1. Não tinha pensado em ler esses livros por serem adolescentes demais, essa era minha ideia. Mas acho que não são tãão assim. Ou ao menos é legal de ler porque mostra as fases e mudanças até o mundo adulto. Como ela cresce. Achei isso legal. Só que vai ter mesmo momentos enjoados e coisas que tenho certeza que vou achar mimimi por ser tempestade em copo d'água. É parte do livro né. Mas ele parece ser bem legal.

    ResponderExcluir
  2. Tenho os dois livros da série e mal posso esperar para conhecer esse universo da Lara Jean. *--*
    Gostei muito do fato de que a leitura é rápida e por outro lado, não curti o fato de que a história fica repetitiva. Espero tirar a dúvida (se irei gostar, ou não), logo!! Haha

    ResponderExcluir
  3. A capa dos livros passam a sensação de ser uma historia beeem adolescente e não estou nesta vibe no momento. Lendo a resenha é possível perceber que é mais que isto. São tantas resenhas positivas sobre o livro que vou acabar lendo, talvez quando estiver querendo algo mais fofinho e de leitura rápida :)

    ResponderExcluir
  4. Eu não esperava muito desta série e terminei as leituras apaixonada. Ainda bem que logo teremos o terceiro.

    ResponderExcluir
  5. Li o primeiro e, apesar de não ser o meu gênero favorito, me diverti com as confusões em que Lara se meteu. Como curti, quer ler este, sim. Uma coisa que preciso falar é que amei as capas, com a mesma modelo.

    ResponderExcluir
  6. Quero ler essa duologia, parece ser mais adolescente, mas mesmo assim tenho vontade de conhecer a história da Lara.
    Tem jeito de ser engraçada, fofa e cheiiaaaaaa de dramalhão aborrecente! rs
    bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados