Resenha: A Indomável Sofia - Georgette Heyer

26/05/2016

Georgette Heyer
Ano: 2016 / Páginas: 406
Idioma: português 
Editora: Record
Sofia Stanton-Lacy é alegre, impulsiva e de uma franqueza desconcertante, características que não combinam com o que se espera de uma mulher em sua posição na sociedade londrina do início do século XIX. Educada durante as viagens de seu pai, órfã de mãe, ela chega à casa de sua tia em Berkeley Square para derrubar as convenções e surpreender a todos com seus modos independentes e sua língua afiada. E Sophy parece ter chegado no momento certo: seus primos estão com muitos problemas. O tirânico Charles está noivo de uma jovem tão maçante quanto ele, já Cecilia está apaixonada por um poeta, e Hubert tem sérios problemas financeiros.
A prima recém-chegada decide então ajudar a todos com sua determinação e impetuosidade, e acaba enfrentando agiotas, roubando os cavalos de seu primo e atirando de raspão em um honrado cavalheiro. Embora sejam sempre mirabolantes e arriscados, seus planos sempre dão certo e tudo parece estar sob seu controle. O que ela não espera, porém, é que seu primo Charles, que aparentemente não vê a hora de arrumar um marido para ela, de repente passa a enxergá-la com outros olhos...

Oi gente,

A família Rivenhall não era das famílias mais serenas de Londres, Cecília não queria se casar com um lorde distinto, preferindo um aspirante a poeta sem um níquel. Charles tomou as rédeas da família depois que seu pai quase levou a família à ruína e está comprometido com um jovem com reputação impecável e com valores morais altíssimos, ou seja, uma chata. Hupert tem problemas com dinheiro, mas não consegue pedir ao irmão que resolva...

Sir Horace vai fazer uma viagem ao Brasil, decide então deixar sua filha com a irmã Lady Berkeley, o que para Sofia foi uma obra do destino, afinal ela não deixaria seus parentes passando por tantos infortúnios sem fazer nada. De modos francos e honestos, não deixava de expressar suas ideias e não parava de maquinar esquemas para que todos ficassem felizes, principalmente Charles, Cecília e Hupert.

Comecei a ler o livro muito animada, me fisgou mesmo. Sofia é uma força da natureza, sendo explicado pelo modo que seu pai a criara sem a mãe. A casa dos parentes que era tão calma e previsível, de repente foi invadida de eventos e discussões que nenhum deles esperava. 

Mas o livro foi passando e meu entusiasmo inicial foi diminuindo porque na realidade, o livro parecia um looping. Sofia fazia algo, alguém da família reagia principalmente Charles e quando enfim passava, algo novo acontecia. Ou seja, não havia novidade na história depois de um tempo. Tudo ficou muito previsível.

Confesso que fiquei bem triste, esperava mais da história porque simplesmente amei a Sofia e suas discussões com o Charles. A autora se prendeu tanto as atitudes de Sofia que esqueceu o romantismo. O que deveria ser algo fora do comum nesse tipo de história, portanto fugindo dos clichês, acabou deixando um gosto nada bom em mim.

O livro não é ruim, tem cenas divertidíssimas, mas acho que as românticas inveteradas podem ficar tão frustradas quanto eu.

Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

4 comentários :

  1. Oi, Elis!
    Li outra resenha um tempo atrás sobre esse livro que falava dessa mesma falta de romantismo, e por essa razão não pretendo ler A indomável Sofia pois sou uma romântica inveterada.

    ResponderExcluir
  2. Li há um tempo atrás "Casamento de conveniência", que comprei numa promo na Bienal, e o looping parece ser o ciclo vicioso da autora. Comecei bem empolgada, mas, depois de um tempo, a história parecia sempre estar voltando ao início. O legal da escritora são as mocinhas que não se prendem as convenções.

    ResponderExcluir
  3. Oi! Quem quer romance em excesso pode mesmo se decepcionar, afinal o entendimento do casal foi em uma cena bem breve e sem muita novidade, ainda assim eu gostei do livro, pois fugiu um pouco dos moldes dos mais atuais que leio.

    Bjos!!!

    ResponderExcluir
  4. Tinha pensado que ele seria bem divertido, um livro fofo. Mas é melhor não ir com muita sede ao pote...
    Ahh, parece bom, divertido. Queria ler. Só vou ficar meio pé atrás com ele agora, não esperar muito...

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados