Resenha: A Dama das Camélias - Alexandre Dumas

17/02/2016

A Dama das Camélias
Alexandre Dumas
Ano: 2002 / Páginas: 270
Idioma: português 
Editora: Nova Cultural
Armand Duval é um jovem estudante de Direito na Paris de meados do século XIX. Jovem recatado, vindo de uma respeitável família burguesa interiorana, apaixona-se por Marguerite Gautier, nada mais nada menos que a mais cobiçada cortesã dos salões e teatros parisienses. Marguerite - vendida, corrompida, perdulária, amante de vários homens - corresponde ao amor do jovem, que provoca uma reviravolta na vida da jovem prostituta. Mas o futuro dos dois amantes enfrenta os mais rígidos obstáculos. Escrito pelo francês Alexandre Dumas filho a partir da sua experiência autobiográfica com a cortesã Marie Duplessis, A dama das camélias é uma das mais célebres narrativas longas do século XIX - o próprio século de ouro do romance europeu.

Eu sempre tive curiosidade para ler A Dama das Camélias. No colegial eu cheguei a ler um daqueles livros adaptados, com o resumo da história, mas não entendi muita coisa. Sequer consegui perceber que a mocinha era uma prostituta de luxo. Esses dias, eu andei fazendo uma limpeza em casa e desentoquei umas caixas onde eu guardava a coleção Obras Primas da Abril Cultural, que estavam encaixotadas desde a minha mudança em 2008 (mudança dá uma preguiça...), e aproveitei para ler A Dama das Camélias. 
Antes de começar a leitura eu fiz uma pesquisinha básica na Wikipedia e descobri que o autor, Alexandre Dumas Filho escreveu esse livro movido pelo remorso, por conta de uma relação que ele havia tido com uma cortesã que havia morrido. O livro tem toques autobiográficos, e o Armand Duval seria um alter-ego do próprio escritor. 

O livro é narrado por um homem que não se sabe o nome, que depois de participar de um leilão dos objetos da falecida Marguerite Gautier, uma cortesã famosa em Paris, e ele compra um livro com dedicatória de um tal de Armand Duval, que dias depois o procura para reaver o livro. 
Armand está sofrendo enormemente com a morte da antiga amante, e é acometido por uma febre fortíssima que o põe de cama, e ele aproveita para contar a sua história com a amante para o novo amigo. 

Eu fiquei surpresa por me deparar com um livro que trata tão abertamente de um caso de amor com uma cortesã, apesar da historia pegar leve no assunto a vida de prostituta de Marguerite é deixada bem clara para o leitor. Ela é sustentada pelos amantes, vive em festas regadas por bebidas e orgias e apesar de estar doente de tuberculose continua com a mesma vida de antes. Armand se apaixona a primeira vista e praticamente se joga aos pés de Marguerite implorando o seu amor. Ela é uma mulher vivida, com os dois pés firmemente plantados no chão, e está gravemente doente, sabe que tem no máximo, uns dois anos de vida pela frente, e acho que por conta disso que ela decide se entregar ao amor de um rapaz apaixonado e sem fortuna. 

Ela assume o novo amante, mas não deixa os antigos que a sustentam de lado. Afinal, ela tem contas para pagar e sabe que não se vive só de amor. Coisa que Armand ainda não aprendeu. Na sua cabecinha de jovem tolo, ele acredita que o amor redime tudo, que Marguerite pode se tornar “pura” pela força única de seu amor. 

Entendi perfeitamente a Marguerite, ela se entregou a um amor que ela sabia que seria a sua ultima chance de redenção, mas infelizmente resolveu amar um rapaz idealista e ingênuo. A situação foi demais para ele o que desencadeou os fatos que se sucederam e causaram o remorso que lhe corroía a alma no inicio do livro. 

Por ser um clássico do século XIX a narrativa tem outro estilo, mais devagar do que estamos acostumadas e o livro em primeira pessoa se torna cansativo. Mas também não precisa ter medo de ler, pois a historia é bem fluida e curta, quando você percebe, já terminou.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Atenção

Oi gente, o blog ganhou um layout novo e como eu migrei do wordpress para o blogger, os posts antigos estão muito bagunçados. Toda mudança gera uma bagunça e não seria diferente por aqui.
Irei arrumando os posts sempre que eu tiver um tempinho, conto com sua compreensão.

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados