Resenha: Surpreenda-me - Megan Maxwell

08/01/2016


Surpreenda-me
Megan Maxwell
Ano: 2014 / Páginas: 368
Idioma: português
Editora: Suma de Letras

Björn é um atraente advogado alemão para quem a vida sempre foi fácil. É um homem apaixonado pelas mulheres e pelo sexo sem compromisso. Adora participar de jogos sexuais e tem sempre a companhia que quiser à disposição: sabe o fascínio que exerce sobre o sexo oposto. A espanhola Melanie é uma mulher independente, que chama atenção pela beleza e pelo temperamento forte. Como piloto do Exército americano está acostumada a levar uma vida de riscos constantes, embora sua principal missão seja lutar para criar sozinha a filha Sami. Quando o destino os coloca cara a cara, a tensão entre eles é evidente... Mas a hostilidade que marcou o encontro deles a princípio pouco a pouco se transforma num desejo incontrolável.

O romance que os fãs de Megan Maxwell estavam esperando: as aventuras e desventuras sexuais de Björn, um dos personagens mais encantadores da série Peça-me o que quiser. Em Surpreenda-me, Megan Maxwell traz de volta os personagens da trilogia Peça-me o que quiser ao contar a história do encontro entre Björn e Melanie. Os melhores amigos de Eric e Judith se entregam a uma paixão devastadora escondidos de todos. E deverão vencer os próprios preconceitos se de fato ainda forem capazes de amar e de construir juntos uma nova vida.
Björn é um advogado atraente pra quem a vida sempre sorriu. É um homem em chamas, alérgico ao compromisso, mas que gosta de desfrutar da companhia de mulheres em seus jogos sexuais!

Melanie é uma mulher de ação. Como um piloto do Exército dos EUA está acostumado a uma vida no limite, no entanto, sua missão principal é a luta como uma mãe solteira para criar sua filha. Quando o destino os coloca frente a frente, a tensão entre eles é evidente … Mas o que era inicialmente encontro hostil vai gradualmente se tornando uma atração irresistível.

Será que eles vão conseguir esses dois titãs vir a entender?

Quando eu li a sinopse, o que me atraiu a atenção foi que a Melanie é militar e piloto de avião. Achei isso muito legal. Claro que fiquei me debatendo entre ler ou não porque como a trilogia fala sobre troca de casais e orgias, não achei que seria minha praia e não li. Como sei que esse vai pelo mesmo caminho… Mas a curiosidade acabou vencendo.

Falando da história de amor entre Björn e Melanie. Gostei muito como foi desenvolvida. Ver um cara todo cheio de si e de convicções meio bobas se apaixonar é sempre algo bom de se ler. Fora que a superação de uma mulher que teve o coração partido e ao longo do livro sabe lidar com as perdas e ainda ser uma ótima mãe é de longe uma ótima história. Não me decepcionei com isso. O amor dos dois me convence, apesar da parte em que o Björn é um completo idiota infantil.

Agora a parte do “sexo é bom, vamos compartilhar”, realmente não é pra mim. A autora soube explicar bem a visão deles sobre o sexo… é bom, quero fazer de todos os modos possíveis, mas com o amor da minha vida junto, tudo fica perfeito. Isso mesmo, para eles o sexo é para ser compartilhado com quem se tem vontade, se você se apaixonar fica perfeito porque você junta sentimento a orgia.

A frase ficou estranha para você?

Não? Ok.

Sim? Então, para mim também. Na minha cabeça sexo é para se fazer somente com quem você gosta e eu não acredito que se pode gostar de duas pessoas ao mesmo tempo. Criação minha? Pode ser, mas o livro realmente não funcionou para mim e acabou causando alguns desgostos com a leitura.

O que eu me senti bem foi pela vitória em conseguir separar o que eu lia, em nenhum momento deixei o que eu acreditava interferir na leitura. Consegui entender e até torcer pelo amor dos dois. Fora que as cenas do Björn com a filhinha dela são lindas de se ler, mostra que o que ele faz entre quatro paredes não o torna uma má pessoa, nem ela deixa de ser uma mãe exemplar por causa disso.

Eu acho que se você consegue não se perturbar com o tipo de sexo descrito, vai achar uma boa história de amor, nada de espetacular e inesquecível, mas uma boa leitura. E mesmo que você não queira ler o livro todo, tem uma cena que você deveria ler. Eu chorei de rir! Björn e Melanie transando, a filhinha dela Sami entra no quarto e ele tem a brilhante ideia de fingir que estão brincando de cavalinho! Eu contando assim não tem graça, mas lendo, putz, é hilária. Ele lá fingindo e ela sem entender nada até que escuta a filhinha pedindo para brincar junto!

Ahhhh, a trilogia eu provavelmente não vou ler. Acho que esse já extrapolou a minha cota de sexo não monogâmico.


Série Peça me o que quiser

  1. Peça me o que quiser

  2. Peça me o que quiser Agora e sempre

  3. Peça me o que quiser ou deixe-me

  4. Surpreenda-me

Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

6 comentários :

  1. Cristiane Dornelas9 de janeiro de 2016 15:09

    Eu li o primeiro e já foi demais. Não sei, esse tipo de livro já chegou a me dar nojo, porque não acrescenta nada, tem uns que são enormes e não chegam a lugar algum e é muito raso, sem história.... O Peça-me o que quiser foi interessante, mas li querendo acabar depois de 100 páginas e não larguei porque sou pirracenta. Foi um caso de "isso aqui não tá chegando a nada". Pra mim há algumas coisas que não funcionam e causam desgosto....estou evitando esse tipo de livro ultimante e nem pensei em ler os demais.
    Maaas, achei interessante a história desse, vendo a resenha dá vontade de ler. Só que não fui muito com a cara da autora, agora só leio coisas dela se acabar ganhando o livro =/

    ResponderExcluir
  2. Achei a trilogia Peça-me o Que Quiser frustrante... não sei se por conta da própria autora e sua mente muito fértil - tbm não curto essa onde de "vamos compartilhar" - ou pela tradução da editora. Como li a trilogia vou precisar ler este pq de certo modo tudo está ligado, mas não é algo que eu queira ler com desespero e afinco... quero, mas não precisa ser agora nem este ano hahahaha

    ResponderExcluir
  3. Eu li esse e não senti falta de ler os anteriores. Foi uma experência estranha, confesso, mas até que gostei como a autora contou a história desse.

    bjos

    ResponderExcluir
  4. Te entendo perfeitamente.
    Eu tenho mais um dela e quero arriscar mais uma vez porque gostei como ela escreveu esse. Tomara que seja bom e não como esse primeiro...

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Leticia Ramos de Mello Oliveira26 de janeiro de 2016 15:51

    Olá, Elis!

    É isso mesmo! Tem gente que acha que lê sobre um tema polêmico, como as orgias, vai fazer a pessoa pensar e se tornar fã daquilo, mas não é bem assim! Ler te dá o conhecimento e te faz entender as pessoas que defendem tal ponto de vista, mas não faz lavagem cerebral em ninguém. E se não gostar, é só parar de ler!
    Mas juro que com você contando, eu já imaginei a situação que a Sami viu e ri muito! Tem muita criança que na curiosidade (e com um pouco de descuido dos pais) acabou pegando os pais no flagra! Não foi meu caso, o máximo que consegui foi achar pacote de camisinha das antigas (aquelas que eram embaladas em papelão e tinham imagens sugestivas na embalagem!)!

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados