Resenha: Canção do cuco - Frances Hardinge

13/01/2016

Canção do cuco
Frances Hardinge
Ano: 2015 / Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Novo Século
Você desperta após um acidente. Você sente uma fome constante e implacável. Você acorda durante a noite várias vezes, com folhas e terra em seus cabelos. Objetos inanimados tentam te atacar. Você atrai tesouras. Em seu pranto, no lugar de lágrimas, teias de aranha brotam como fios de desespero. Sua irmãzinha passa a ter um medo incontrolável de você...
Assim tem sido a vida da jovem Triss Crescent. Aos poucos, ela descobrirá que o mal com o qual tem convivido é mais estranho e terrível do que ela jamais poderia imaginar. Tomada por dúvidas, ela parte numa jornada frenética em busca do Arquiteto, projetista de prédios, pontes e destinos sombrios.
Uma fábula sinistra e cheia de mistérios, uma corrida contra o tempo onde vidas podem ser perdidas e que nada é o que parece.

“Aconteceu algo de ruim aqui, algo que não podia ter acontecido nunca.
Mudei de ideia. Não quero mais me lembrar”

Triss sofreu um grave acidente no rio, mas está em casa junto dos pais e da irmã mais nova, Pen. Só que ela não se sente bem. Está sempre com uma terrível fome, sua memória não é tão clara e sua irmãzinha a odeia, parece saber algo que ela não sabe.

Coisas sobrenaturais começam a acontecer, bonecas conversam com ela e todos os dias acorda com folhas presas no corpo. Ela sente que está muito doente e fica com medo de contar para os pais e assim ser afastada deles.

Triss começa a juntar pistas, começa com a sua irmã e vai aprendendo mais e mais sobre o que aconteceu naquela noite no rio e como isso a mudou e impactou sua família. Logo ela não está mais na posição de vítima, todos pensam que na verdade ela é o problema e tentam arrumar uma solução, o que faz com que a busca pela verdade se torne uma corrida de obstáculos.

“– Triss… onde ela está? – A garganta de Celeste Crescent tremia ao falar. – Seu monstrinho, o que você fez com ela? Cadê a minha filha?”

Quando comecei a ler a história, não sabia bem o que esperar e passei os primeiros capítulos bem confusa, mas conforme Triss ia montando o quebra-cabeças e eu vi o rumo da história, simplesmente me agarrei ao livro, devorei as páginas. O primeiro pensamento que tive foi que a história me lembrou do filme As crônicas de spiderwick.

A história é ágil, tem sempre algo acontecendo, algo sendo revelado e é tudo muito interessante. A autora soube ligar os pontos de uma forma sensacional. Eu sempre fico preocupada com histórias que envolvem fantasia porque muitas vezes os autores se esquecem de ligar as informações, então tudo fica irreal demais. Para mim quanto mais crível é a fábula, mais legal é se envolver com ela. Eu adoro quando a narrativa me envolve tanto que passo a acreditar na história enquanto estou lendo, para mim isso faz um livro ser bem sucedido.

Também gostei muito do desenrolar da luta do “bem contra o mal”, afinal quem era realmente o mau e quem era realmente o bom? Para quem torcer? Olha, foi muito bom ler esse livro. Um mundo de contos de fadas, onde nada é bem que parece. Um ser que quer ajudar aos seus, mas também é rancoroso e vingativo. Uma menina que precisa descobrir como sobreviver ao sobrenatural e ajudar aqueles que ama. Imperdível.


Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

6 comentários :

  1. Cristiane Dornelas13 de janeiro de 2016 18:52

    Já vi resenhas pra caramba dele e a maioria gosta. Fiquei interessada.
    Acho legal que o ritmo vai crescendo, a trama vai prendendo você e não é a primeira vez que vejo falarem isso dele, então deve ser verdade que é viciante assim.
    Acho que gostaria se lesse, ainda mais pela coisa dos contos de fadas (adoro ler livros relacionados, releituras ou coisas assim).

    ResponderExcluir
  2. Fiquei interessada nessa leitura,não sabia que tinha um ar de contos de fadas,o clima me fez recordar levemente o filme "O Labirinto do Fauno","As crônicas de spiderwick" não vi.
    A parte da história começar confusa e ir apresentando os as pistas dos mistérios me agrada.Acordar com folhas pelo corpo e conversar com bonecas?Que sombrio,estou curiosa.

    ResponderExcluir
  3. Tinha esquecido de O labirinto de fauno, tem esse clima mesmo.
    Vale a pena a leitura!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Coloca na fila de leitura, eu senti saindo da minha zona de conforto e gostei muito da experiência.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Meo, só a sinopse já me deixou com medo... pra mim é terror hahahahahahaha
    Gosto do gênero, mas é algo que eu leia com frequência.

    "Coisas sobrenaturais começam a acontecer, bonecas conversam com ela e todos os dias acorda com folhas presas no corpo." Só este trechinho já me deixou em pânico!

    ResponderExcluir
  6. Leticia Ramos de Mello Oliveira26 de janeiro de 2016 09:13

    Olá, Elis!

    Acho que o ambiente de conto de fadas que há nesse livro é daqueles mais sombrios. É difícil para mim reconhecer esse lado, porque sou mais acostumada aos contos açucarados da Disney, então eu não consigo ver ele lado sinistro dos contos tão facilmente (nem em Doctor Who durante a era do 11º Doutor).
    Mas ele consegue te incitar a torcer pela Triss para que todos percebam que ela está com um problema e não que ela é problema.

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados