Resenha: Provocante - Madeline Hunter

25/09/2015

PROVOCANTE_1405004078B

Provocante
As Flores Mais Raras #2
Madeline Hunter
Ano: 2014 / Páginas: 400
Idioma: português
Editora: LeYa




Verity Thompson desapareceu no dia do seu casamento. Seu paradeiro ficou em segredo por anos, um longo período no qual seu marido, o conde de Hawkeswell, viveu na penúria e na incerteza.


Verity deixou para trás uma fortuna imensa, porém, inacessível à família, pois sua morte não havia sido oficialmente declarada. Nem poderia, já que ela estava bem viva.


Ao ser obrigada a se casar, ela foge de Londres e refugia-se no campo. Abandonou sua fortuna em troca da liberdade. Mas o destino tem os seus próprios desígnios e a jovem se vê obrigada a regressar à cidade e a um casamento sem amor.


Seu arrogante marido, porém, está disposto a chegar a um acordo: se Verity lhe der três beijos por dia, ele não a obrigará a cumprir os deveres conjugais.


Mas, claro, há beijos e beijos… e Verity vai perceber até que ponto foi realmente um erro se entregar nas mãos de um hábil mestre.




Verity foi forçada pelo seu primo a se casar, através de ameaças, e quando ela percebeu que mesmo fazendo o que seu primo queria, as ameças foram cumpridas ela decidiu parar com aquela palhaçada, fugiu e se fingiu de morta logo apos o casamento com o conde falido que arrumaram para ela.


Nada disso que eu contei é spoiler, o livro já começa com essas explicações. E logo em seguida vem o reencontro do casal, depois de dois anos, e a casa cai para a Verity. Suas amigas descobrem o segredo, e ela é forçada a acompanhar o conde e retomar a vida de casada, para que ele possar tomar posse de sua herança e finalmente pagar as contas!


Verity quer se livrar a todo custo deste casamento indesejado e tenta entrar em um acordo com o conde; ela quer dar o seu dote e parte de sua herança em troca de sua liberdade, e ele faz um contra proposta; promete “pensar” no assunto em troca de um tempo junto e um beijo por dia. Não é muito, mas é um começo.


Os dois não caem de amores um pelo outro. Tem muita estranheza e rancor entre eles. Ela por ter sido forçada a se casar com uma pessoa que não se importava a mínima, e ele por ter sido abandonado e ter se tornado “viúvo sem nunca ter sido” por anos. Eles vão ter de aprender a se conhecer e a deixar os pré-conceitos que tinham um pelo outro de lado, e isso não vai ser tarefa fácil, visto a mágoa enorme que existe entre ambos.


Mas Lorde Hawkeswell fez uma aposta acertada quando insistiu no “beijo diário”, e é através dessa manobra que ele vai vencendo aos pouquinhos a resistência de Verity e descobrindo a mulher forte e batalhadora que ele tem por esposa. Os dois aos poucos vão passando a enxergar através das aparências conforme a relação progride.


A Madeline Hunter é uma autora que foge dos temas fáceis, e já disse isso em outra resenha, e aqui ela dá outra mostra de como é trabalhoso fazer um relacionamento e um casamento funcionar. Nem tudo são flores e o conto de fadas demora para acontecer. Mas como não sou uma leitora preguiçosa, passei a adorar os livros dela, apesar de achar a Verity muito cabeçuda pro meu gosto. A mocinha mete uma idéia na cabeça e não quer largar o osso por nada no mundo. Essa deu canseira!


Cris Paiva


Série As Flores mais raras:

1. Deslumbrante – Ravishing in red (Audrianna and Sebastian) - Leia a resenha
2. Provocante – Provocative in pearls (Verity and Grayson)
3. Sinful in satin (Celia and Jonathan)
4. Dangerous in diamonds (Daphne and Castleford)

Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

5 comentários :

  1. Li pouco coisa da Madeline e por vezes tive vontade de abandonar a leitura pq ela tem um ritmo mais lento e isso me desanima. E comentam muito sobre os erros de revisão da Leya.

    ResponderExcluir
  2. Aii meninas, ainda não li nada da Madeline Hunter, mas AMEEEi essa resenha!!!
    Gosto muito de romances de época, principalmente o que tem personagens fortes, nada daquelas mocinhas birutas que concordam com tudo kkkkkkk
    Esse livro parece ser bem escrito, sem ser muito cansativo, e mesmo a Verity sendo cabeça dura, é bonito de ver eles irem se apaixonando aos poucos, como acontece algumas vezes depois de casados mesmo né? rsrs
    bjoos

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li o primeiro livro dessa série, curto muito romance de época, gosto da escrita da Madeline Hunter e os dois primeiros livros já estão na lista de leitura e cada resenha que leio deles me deixa ainda mais interessada em conferi essa série.

    ResponderExcluir
  4. Leticia Ramos de Mello Oliveira29 de setembro de 2015 20:47

    Olá, Cris!

    A Verity se casa por causa das ameaças do primo dela, que de tão malvado que era, as cumpriu mesmo ela tendo se casado. Foi bom que ela fugiu e se fingiu de morta porque o primo dele merecia uma lição (acho que merecia a cadeia também, mas como ainda não li não sei se isso pode ter acontecido). Mas ainda bem que o Lorde Hawkeswell não era tão interesseiro como o primo da Verity e também estava se apaixonando de verdade por ela, pois sem amor, eles não iriam conseguir manter o casamento, mesmo com um acordo.
    É só uma pena que essa série da Madeline Hunter está com a publicação parada na Leya, pois esse livro foi lançado há quase dois anos e nenhum outro foi lançado depois.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Pois é Leticia, eu estava gostando de seguir a série e acho que eles desanimaram de publicar o resto.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Atenção

Oi gente, o blog ganhou um layout novo e como eu migrei do wordpress para o blogger, os posts antigos estão muito bagunçados. Toda mudança gera uma bagunça e não seria diferente por aqui.
Irei arrumando os posts sempre que eu tiver um tempinho, conto com sua compreensão.

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados