Resenha: Um mundo brilhante – Tammy Greenwood

10/07/2015

UM_MUNDO_BRILHANTE_1327434281B

Um Mundo Brilhante
T. Greenwood
Ano: 2012 / Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Novo Conceito




Quando o professor Ben Bailey sai de casa para pegar o jornal e apreciar a primeira neve do ano, ele encontra um jovem caído e testemunha os últimos instantes de sua vida. Ao conhecer a irmã do rapaz, Ben se convence de que ele foi vítima de um crime de ódio e se propõe a ajudá-la a provar que se tratou de um assassinato.


Sem perceber, Ben inicia uma jornada que o leva a descobrir quem realmente é, e o que deseja da vida. Seu futuro, cuidadosamente traçado, torna-se incerto, pois ele passa a questionar tudo à sua volta, desde o emprego como professor de História, até o relacionamento com sua noiva. Quando a conheceu, Ben tinha ficado impressionado com seu otimismo e sua autoconfiança. Com o tempo, porém, ela apenas reforçava nele a sensação de solidão que o fazia relembrar sua infância problemática.


Essa procura pelas respostas o deixará dividido entre a responsabilidade e a felicidade, entre seu futuro há muito planejado e as escolhas que podem libertá-lo da delicada teia de mentiras que ele construiu.


Esta, enfim, é uma história fascinante sobre o que devemos às pessoas, o que devemos a nós mesmos e o preço das decisões que tomamos.




Ben é um frustrado. Doutor em história, mas leciona como professor adjunto e, barman em algumas noites da semana . Na verdade era professor adjunto em uma universidade próxima onde mora, mas foi dispensado por desentender-se com um aluno. Já falei que ele é frustado? Já. Imagine, como barman ele ganhava até mais que como professor! E claro, noivo de Sara, uma moça mimada e que o controla (sem ele perceber). Sim, ele já foi feliz com ela mas seu amor já expirou. E ainda por cima ele carrega a dor de nunca ter superado a morte de sua irmã na infância.


Ele vive uma vida banal e ordinária, mas no primeiro dia de neve do inverno, ao sair de casa para pegar o jornal, presencia os últimos suspiros de um jovem índio navajo, caído próximo à sua porta. Ben chama a polícia e o garoto é levado para o hospital, mas ele sabe que só com um milagre o garoto sobreviveria.


Numa tentativa de buscar um novo rumo em sua vida, Ben parte para uma busca pelos responsáveis por essa enorme violência e se vê envolvido com Shady, a irmã do garoto, Ricky.


Tudo isso move a história e Ben que para mim é um fraco, mentiroso e indeciso, deverá tomar uma decisão que determinará o rumo de sua vida.


Um mundo brilhante tem uma narrativa rápida e capítulos curtos. O assassinato começa como foco principal, depois para a escolha entre Sara e Shady ( casar-se com a noiva ou ser feliz com Shady), mas apesar dessa mudança no foco, a história é boa.


Rosana Gutierrez


Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

7 comentários :

  1. Personagem Ben deixou muito a desejar. Apesar de tudo é um bom livro! :)

    ResponderExcluir
  2. De primeira já descartaria esse livro pela sinopse, ela não me agradou, e após ler a resenha esse sentimento continuou o mesmo. Ben parece ser um personagem chato, sem graça, indeciso, detesto personagens assim, por isso, passarei longe desse livro, com certeza não faz meu estilo de leitura.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Olaa
    Gente :o fiquei extremamente curiosa para conhecer a historia! Pela capa e pela sinopse, eu nao leria o livro nao :S mas adorei a resenha e fiquei mega curiosa para saber tudo o q vai acontecer!! Saudades de ler livros do estilo! Adorei
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Um Mundo Brilhante foi quase um parto… um parto inacabado, diga-se de passagem, pq não consegui terminar. Acho que por isso T. Greenwood sempre será um autor a me deixar com pé atrás mesmo todos dizendo que a história tal é ótima. Fora os erros gramaticais... sério, parece que pegaram o livro, jogaram no tradutor do Google e pronto ¬¬'

    ResponderExcluir
  5. Leticia Ramos de Mello Oliveira15 de julho de 2015 16:46

    Me lembro que já ganhei algumas amostras desse livro em promoções que ganhei e quando li achei que tinha um premissa muito boa, mesmo não sabendo sobre o mistério do índio atacado.
    Só não sei se ter mudado o foco da investigação desse ataque para a decisão do triangulo amoroso foi uma boa decisão. Já vi autores que conseguiam mesclar mistério, romance e mudança de vida numa trama até o fim. Até mesmo a Nora Roberts faz isso muito bem, mantendo suspense e romance equilibrados até o fim e isso que a Tammy faz põe esse livro em xeque. Sei que só lendo terei uma opinião formada se essa decisão mudar o foco para os questionamentos sobre a mudança da vida de Ben foi feliz ou não, mas já me deixou com uma pulga atrás da orelha.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Oi Rosana. Não me interessei tanto assim pelo livro não, que drama a vida desse cara! E não curto muito isso não, e sinceramente curto menos ainda quando uma pessoa totalmente comum começa a investigar um assassinato e essas coisas.

    ResponderExcluir
  7. Não curti muito, não chamou minha atenção. O personagem principal parece ser bem chato, indeciso, e genteeee, não suporto isso!
    Eu sou MUITO ansiosa, kkkkkk eu fico querendo bater nos personagens que são assim, saio andando xingando eles pela casa (sim, eu faço isso kkkk). Então, creio eu, que não gostaria do livro, não. kkk
    bjos

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Atenção

Oi gente, o blog ganhou um layout novo e como eu migrei do wordpress para o blogger, os posts antigos estão muito bagunçados. Toda mudança gera uma bagunça e não seria diferente por aqui.
Irei arrumando os posts sempre que eu tiver um tempinho, conto com sua compreensão.

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados