Resenha: A Mais Pura Verdade - Dan Gemeinhart

20/07/2015

A_MAIS_PURA_VERDADE_1432315282434583SK1432315282B

A Mais Pura Verdade
Nunca é tarde demais para viver a maior aventura da nossa vida
Dan Gemeinhart
Ano: 2015 / Páginas: 224
Idioma: português
Editora: Novo Conceito




Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha.
Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças.
Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.
Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier. Nem que seja a última coisa que ele faça.
A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.




Olá!


Confiram a resenha do livro A mais pura verdade, do autor Dan Gemeinhart.


Esse livro é bem comovente. Uma jornada a uma montanha bem alta e a lugares profundos em seu coração.


Mark é um garoto de 13 anos que está doente. Ele sempre quis escalar uma montanha. E tem planejado em como fará sua fuga e escalar o Monte Rainier. Ele tem uma ótima família, um cachorro, Beau, que está disposto a acompanhá-lo a qualquer lugar, e uma melhor amiga, Jessie, que compartilhou sempre todos os bons momentos e entende Mark. Eles foram feitos para o outro.


Jess está lidando com o vazio dentro de si e Mark já fez isso também. Com tudo isso acontecendo, Mark está fazendo uma enorme escolha e decidindo-se a agarrar-se a um grande momento em sua vida e fazer do seu jeito.


Com sua velha câmera, Mark documenta os momentos únicos de sua jornada. Ele e Beau, juntos, acordam a cada dia prontos para viver um novo dia, sem olhar para o ontem ou para o amanhã que pode trazer a morte.


É importante parar e ver os momentos, mesmo quando não temos uma câmera sob os olhos, e também olhar ao redor e ver onde está a bondade e o que a outra pessoa está lutando para superar.


Será que Mark está com medo de morrer? O que fazer quando um amigo faz uma escolha que causa a outras pessoas dor? Jessie tem um grande peso sob sua responsabilidade, qual decisão tomar? O que escolherá ela e Mark?


A história se alterna do ponto de vista de Mark para o de sua família e, algumas vezes de Jessie.


Uma história de coragem, de laços invisíveis que nos ajudam a passar pelos momentos mais duros e difíceis, mas também tornam os dias felizes ainda melhores. Um garoto que não tem uma luta justa mas que é inteligente, ama a vida e opta por seguir sob seus próprios termos. Pegue uma caixinha de lenços e comece a ler. Recomendo.


Capa, diagramação agradáveis à leitura.


Rosana Gutierrez


Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

5 comentários :

  1. A historia parece linda! mais um daqueles livros com adolescentes que nos passam grandes ensinamentos! Infelizmente eu sempre me envolvo e sofro demais com livros do genero e estou evitando leituras assim, ultimamente. Quando eu voltar para o estilo drama eu vejo se leio esse ^^

    ResponderExcluir
  2. Eu não curto o gênero sick-lit - as vezes chego a achar a premissa mórbida - e mesmo que tenha a ver com uma criança e seus sonhos, ainda acho o tipo de leitura que impressiona, é pesada.

    ResponderExcluir
  3. A leitura é um meio de escape pra mim, para fugir por um momento da realidade, por isso evito ler livros que eu sei que vão me fazer chorar, como é o caso de A Mais pura verdade. Criança + câncer = eu chorando rios de lágrimas.
    Mas amei a resenha, e se um dia for ler esse livro seguirei seu conselho, colocarei uma caixinha de lenços ao meu lado.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Leticia Ramos de Mello Oliveira24 de julho de 2015 09:51

    Não tenho costume de chorar com livros sick-lit. Li "O Mundo Amarelo" e "A culpa é das estrelas" e eles tratam o processo de ter o câncer de um forma positiva. Não que ter câncer seja algo positivo, pois é uma doença que desgasta o corpo da pessoa, seja por ela mesma ou pelo tratamento, mas ver pessoas que poderiam estar reclamando mais da vida vivendo situações emocionante e muitas vezes felizes nos faz pensar em quanto reclamamos a toa.
    Esse parece ser um livro excelente pelo que dizem e até tentei ganhar em algumas promoções, mas falhei em todas. Mas só fico imaginando se na vida real um paciente conseguiria fugir do hospital para escalar uma montanha... Mas mesmo assim, vai me tocar (mesmo que eu não chore!).

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. AAAAh,eu ameeeeei esse livro!!!
    Achei uma fofura!
    A Amizade do Mark e do Beau é de um lealdade e amor, que olha, chega a doer os olhos de tanto segurar as lágrimas, rsrsrs
    (mentira, chorei sim, e muito lendo-o!!!).
    O final me surpreendeu mesmo! Tanto de bom, quando de ruim. Queria mais informações e tal.
    Mas já valeu.
    bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados