Resenha: Amigas Para Sempre - Kristin Hannah

02/07/2015

AMIGAS_PARA_SEMPRE_1389050715B

Amigas Para Sempre
Firefly Lane # 01
Kristin Hannah
Ano: 2014 / Páginas: 446
Idioma: português
Editora: Arqueiro




Tully Hart tinha 14 anos, era linda, alegre, popular e invejada por todos. O que ninguém poderia imaginar era o sofrimento que ela vivia dentro de casa: nunca conhecera o pai, e a mãe, viciada em drogas costumava desaparecer por longos períodos, deixando a menina aos cuidados da avó. Mas a vida de Tully se transformou quando ela se mudou para a alameda dos Vaga-lumes e conheceu a garota mais legal do mundo. Kate Mularkey era inteligente, compreensiva e tão amorosa que logo fez Tully sentir-se parte de sua família.


Ao longo de mais de trinta anos de amizade, uma se tornou o porto seguro da outra. Tully ajudou Kate a descobrir a própria beleza e a encorajou a enfrentar seus medos. Kate, por sua vez, a ensinou a enxergar além das aparências e a fez entender que certos riscos não valem a pena. As duas juraram que seriam amigas para sempre. Essa promessa resistiu ao frenesi dos anos 1970, às reviravoltas políticas das décadas de 1980 e 1990 e às promessas do novo milênio. Até que algo acontece para abalar a confiança entre elas.


Será possível perdoar uma traição de sua melhor amiga? Neste livro, Kristin Hannah nos conta uma linda história sobre duas pessoas que sabem tudo a respeito uma da outra – e que por isso mesmo podem tanto ferir quanto salvar.




Olá! A resenha de hoje é de Amigas para sempre de Kristin Hannah


É um romance comovente que nos oferece um claro panorama da vida familiar e, e a trajetória de vida de duas amigas adolescentes que é foco principal da trama. As personagens, ricamente construídas pela autora, dão singularidade à obra, levando-nos a refletir sobre o real sentido da amizade, do companheirismo e do perdão.


Kathleen está na 8ª série. Sente-se péssima e sozinha. Suas amigas a deixaram para fazer parte da turma das drogas.


“Passaram a fumar maconha antes da escola, a matar aulas, e nunca perdiam uma festa.”

Ela já havia lido “O senhor dos aneis”, muitas vezes, mas isso não ajudava em nada ela ser mais popular na escola. Para piorar a situação, usava óculos de aros que estavam fora da moda. Certa manhã, Kate vê que a casa do outro lado da rua tem moradores novos. Logo conhece a menina Tully e a mãe, viciada em droga. Está prestes a começar uma amizade que vai mudar a vida de Kate para sempre. Tully é uma garota diferente: moderna, bonita e a mais popular da escola.


Certa noite, Tully vai a uma festa e acaba fazendo sexo com um rapaz. Transtornada, não sabendo como lidar com a situação, recorre à Kate que será a partir dali sua amiga fiel e guardiã de seus segredos. Nas horas de folga, passeiam de bicicleta, e prometem ser amigas para sempre e também colegas de profissão no futuro. Tully, abandonada pela mãe, vai morar com a avó; mesmo assim, à distância, se correspondem frequentemente.


A avó da jovem falece e ela é convidada a morar com a família da amiga. O tempo passa e as duas vão para a Universidade. Formam-se em Jornalismo. Tully arruma emprego em um canal de TV. Kate vai para o mesmo trabalho. Tully só pensa em brilhar no trabalho. Seu foco é a ascensão social e profissional. O lado afetivo fica à deriva. Já abandonou um grande amor por um emprego novo.


“Trabalhando dezoito horas por dia, Tully não tinha tempo para sua vida pessoal, mas ainda tinha Kate, apesar da distância.”


Fama e dinheiro não interrompiam o ritmo de trabalho de Tully.


“Os dias passavam voando, tão rápido que às vezes eram apenas um borrão de sons e cores.”

Kate muda o foco de sua vida para a família: casa-se e tem três filhos. A amizade continua como alicerce de suas vidas. As crianças crescem e o relacionamento de Kate com Marah( na adolescência) se torna cada vez mais difícil. Tully (que tinha um programa de acompanhamento na TV) a convida para participar de um programa na TV — Um programa de TV da Tully.


Quando Tully faz a abertura, falando sobre mães superprotetoras, controladoras, e as filhas adolescentes que as odeia. Katie sente-se como uma mãe ruim, em cadeia nacional. Traída, corre dali, arrastando Marah pelo braço, e declara, a partir daquele instante, o fim da amizade entre elas. Tully está diante de um desafio nunca, até então, experimentado na vida. Percebeu que o destino mudou de mão. E agora?


Envolver-se com a história das duas amigas é descobrir que sempre é possível uma saída, embora tudo pareça tão difícil.


Capa, diagramação e papel são agradáveis à leitura. O segundo livro, Por toda a eternidade, foi publicado pela Novo Conceito.


Rosana Gutierrez


Série Firefly Lane




  1. Amigas para sempre

  2. Por toda a eternidade


Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

9 comentários :

  1. Oi, todo mundo esta falando muito bem, e que coisa estranha né, um livro ter ligação com o outro e os dois serem lançados por editoras diferentes, mas pelo que deu para entender na resenha o livro tem muito o que nos ensinar sobre a amizade, e sobre a vida mesmo, livros assim sempre são bem vindos para mim.

    ResponderExcluir
  2. A amizade é algo tão precioso, não é mesmo?! Pena que algumas pessoas não dão valor... E por se tratar desse tema fiquei interessada, e olha que sou uma romântica que ler um livro sempre a procura de lindas histórias de amor.
    Esse livro parece ser um daqueles que te faz refletir... É uma ótima dica com certeza.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não li o livro.. eu acho essa capa dele bem bonitinha,
    eu gostei do tema abordado, a amizade das duas que durou bastante tempo.. acredito que se trata de temas bem marcantes.. e acredito que com o tempo (no próximo livro) as duas voltem a ser grandes amigas..

    ResponderExcluir
  4. Leticia Ramos de Mello Oliveira3 de julho de 2015 15:57

    Esse é o livro que todo mundo está disputando a continuação aqui, não é? A história é muito boa e pelo que dizem, é de fazer chorar. Aliás, acho que a Tully queria ajudar a Kate em relação a Marah, mas pesou na mão e na tentação de querer ficar em primeiro no IBOPE.
    O duro é que como a situação da Marah só vai ser resolvida em Por Toda a Eternidade, é preciso ter os dois livros para entender ela bem, mesmo que as duas histórias tenham um fim próprio.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Roberta de Oliveira3 de julho de 2015 19:23

    Adorei a resenha e o motivo pode surpreender um pouco. O livro pode não falar sobre o feminismo diretamente, mas o representa. Duas mulheres como personagens principais, e não, a briga delas não é por causa de algum homem. Foca na relação delas entre si e com a carreira e a família. Acho super importante a nova literatura (ou a literatura para jovens) abordarem os temas dessa forma. Tenho percebido muito isso em filmes também. Confesso que quando li só a sinopse achei que era bem diferente, a resenha me surpreendeu.

    ResponderExcluir
  6. Os livros dessa autora estão sendo super bem comentado, mas todos apontam a mesma característica: histórias tristes. Eu até gosto de drama, mas um livro que é drama do início ao fim não é o meu forte, o meu tipo favorito.

    ResponderExcluir
  7. Jacqueline Moura4 de julho de 2015 13:46

    Comigo ja aconteceu algo semelhante ao inicio de oq passou c a protagonista :/ eu era do mundo da leitura, enquanto minhas amigas de colegio eram do mundo das festas, bebidas, etc. Nao deu muito certo kkk
    Atualmente nao estou lendo muito livros de drama, ja basta o drama de tanta coisa pra estudar na facul kkkk entao estou me entregando mais a fantasias, aventuras e comedias romanticas. Qndo eu voltar ao genero, esse estará na lista o/

    ResponderExcluir
  8. Já tinha ouvido falar bem da autora e desse livro, mas nunca tinha parado para ler uma resenha a respeito da história. Gostei bastante da premissa e principalmente por ter citado que as duas protagonistas são bem construídas pela autora. Quando li na sinopse que havia uma traição pensei que era algo envolvendo um romance ou algo do tipo, e foi uma surpresa (bem feliz, na verdade) descobrir na resenha que se tratava de algo mais íntimo, que feria diretamente a confiança entre as amigas, não envolvendo romance nisso tudo.
    Adorei mesmo o contexto da traição e fiquei bastante curiosa para ler!!!

    ResponderExcluir
  9. Sempre quis ler um livro da K. Hannah, mas ainda não li nenhum.
    Esse parece ser bem dramático e comovente, afinal, que infância/adolescência sofrida elas tem, dá a impressão que são tão sozinhas.
    Fiquei curiosa para saber o final de cada uma das amigas.
    Marcado aqui para ler em breve.
    bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados