Resenha: Amante Liberto - J. R. Ward

27/07/2015

A_IRMANDADE_DAS_ADAGAS_NEGRAS__VOL_5_A_1298673697B

Amante Liberto
Lover Unbound
Irmandade da Adaga Negra # 05
J. R. Ward
Ano: 2011 / Páginas: 525
Idioma: português
Editora: Universo dos Livros




Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, a guerra explode entre vampiros e seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. O coração gelado de um predador será aquecido mesmo contra a sua vontade...


Destemido e brilhante, Vishous, filho de Bloodletter, possui uma maldição destrutiva e a capacidade assustadora de prever o futuro. Criado no campo de guerra de seu pai, ele sofreu maus tratos e abusos físicos e psicológicos. Membro da Irmandade, ele não se interessa por amor nem emoção, apenas pela batalha com a Sociedade Redutora.


Mas, quando uma lesão mortal faz com que fique sob os cuidados de uma cirurgiã humana, a Dra. Jane Whitcomb, ele é levado a revelar a dor que esconde e a experimentar o verdadeiro prazer de pela primeira vez... Até que o destino, que V. não escolheu, o leva para um futuro do qual Jane não faz parte.




Não tem como não ficar chateada lendo esse livro.
Eu sempre achei que o V. e o Butch iam ficar juntos, se casar e ter um bando de policiazinhos vestidos com roupas de couro. Esse livro acabou com todos os meus sonhos cor-de-rosa.


O V. tá ferrado nesse livro. Levou um tiro, quase morreu, nós ficamos conhecendo quem foi o seu amoroso papai, como foi a sua vida antes da irmandade e como conseguiu sua mãozinha reluzente, e pior ainda, quem é a sua mãe! E como se tudo isso não fosse desgraça o suficiente, ele ainda vai ter de casar e agüentar 40 mulheres com TPM todo mês!! É de pirar a batatinha ou não?


Bom, o homem tem um sossego momentâneo quando, ao ser hospitalizado, e conhece a Jane, a médica que o atende, se apaixona na mesa de cirurgia, rapta a mulher e a leva para a irmandade, afinal, alguém vai ter de cuidar dele né! O que eu achei legal, é que a mulher, mesmo raptada, leva o trabalho a sério, e fica mandando o V. comer todos os legumes, e dando ordens praqueles homens enormes da irmandade, e pior, todos obedecem! Kkkkkk


O par é meio irreal. O V. gosta de dominação, ser mandão e gosta de ser obedecido, e a Jane é humana e tem problemas com autoridade, quem manda é ela!! Ela adora dar uma de sabichona e dizer o que os outros devem fazer e isso deixa o V meio louco (no bom sentido), ele fica doidinho pra ter aquela mulher mandando nele, de preferência enquanto ele está imobilizado e amordaçado, e melhor ainda se tiver um chicote envolvido. Afê!!!


O final pra mim, deixou a desejar, a autora me dá a esperança de que o V e o Butch vão voltar a ser um casal, e logo em seguida a destrói sem dó! Magoei dona Ward! Poxa, o V e o Butch formam um casal muito mais bonito juntos do que com essas duas desmilinguidas. Saco!!! Agora o jeito é voltar as minhas atenções para o outro casalzinho do livro que esta começando a se formar e que ainda vai dar muito o que falar...


Cris Paiva


Irmandade da Adaga Negra

#1 Amante Sombrio (2009) < Leia a resenha >
#2 Amante Eterno (2010) < Leia a resenha >
#3 Amante Desperto (2010) < Leia a resenha >
#4 Amante Revelado (2010) < Leia a resenha >
#5 Amante Liberto (2011)
#6 Amante Consagrado (2011)
#7 Amante Vingado (2011)
#8 Amante Meu (2011)
#9 Amante Libertada (2012)
#10 Amante Renascido (2012)
#11 Amante Finalmente (2013)
#12 O Rei (2014)

Depois de comentar, preencha: Formulário

Comente com o Facebook:

5 comentários :

  1. Olaa
    Acho que esse é um livro mega divertido para quem gosta do estilo neh kk so pela resenha eu ja senti isso! no entanto nao é pra mim :/ nao curto nem livros com personagens dominadores e muito menos com vampiros kk Fica pra proxima ^^

    ResponderExcluir
  2. Esse é o livro que menos gosto... mentira, ele tá lado a lado com o da Payne no quesito "livros ruins".
    Acho que o que vou dizer não é spoiler pq isso já foi debatido zilhões de vezes, mas não me conformo com a fantasminha camarada. To sempre batendo na msm tecla, mas No'One se matou, foi enterrada e teve uma nova chance, agora Jane morre e volta como a fantasminha camarada. Juro que até hj não entendo o que Ward quis mostrar com isto.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que quando inicie a leitura dessa série não fiquei empolgada pra ler o livro do Vishous, por ser um personagem bastante complexo e não saber o que quer realmente ele acabou não despertando minha curiosidade, mas li mesmo assim pois faz parte da série. No fim, não achei grande coisa o seu romance com a Jane, mas o final foi emocionante e a revelação bombástica sobre quem realmente é sua mãe, nossa, confesso que não desconfiei nadinha!!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Ameeei a resenha, achei bem engraçado esse casal improvável, mas é bom, porque se completam.
    Essa série já li resenhas maravilhosas sobre ela, e faz tempo que quero ler, mas deixa eu te perguntar, é essa aquela da Nora Roberts com pseudônimo, ou eu to confundindo???
    Nossa, mas 40 mulheres de tpm é brincadeira hein!
    Deu medo até de ler kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    bjos

    ResponderExcluir
  5. Leticia Ramos de Mello Oliveira31 de julho de 2015 18:51

    Nossa, agora entendi a polêmica toda desse livro e de porque a Cris ter odiado o final. Eu acho que mesmo tendo sido escrito em 2010, havia ainda uma certa resistência a livros com romances homossexuais. Acho que até a J. R. Ward sentiu medo de entrar em uma polêmica, afinal mesmo com o recente #LoveWins da decisão da Suprema Corte Americana, há ainda muitos americanos que condenam romances homossexuais. Os mais religiosos até dizem que não é coisa de Deus. Então, imaginem publicar um livro de uma série erótica de sucesso em que o casal é homossexual. Com certeza, seria um que faria a pessoa ter a caneca "I read banned books!" (Eu leio lvros proibidos).
    Acho que depois, me corrijam se eu errar, há mesmo um casal homossexual na série, mas no momento que ela escreveu o livro, ela deve ter tido medo e não quis o V. com o Butch. Se depois ela não quis mudar a decisão, é porque ela viu mais graça na Jane, mesmo como fantasma, do que no Butch, e nesse caso, não é medo e nem preconceito, é simplesmente gosto.

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados