Resenha: Private – Agência Internacional de Investigações - James Patterson

14/04/2015

PRIVATE_1334095054B

Private - Agência Internacional de Investigações
Private - Livro 01
James Patterson
Ano: 2012 / Páginas: 224
Idioma: português
Editora: Arqueiro




Jack Morgan é dono da Private, a melhor agência de investigações que existe, com escritórios em vários cantos do planeta. É a ele que os homens e as mulheres mais influentes do mundo recorrem quando precisam de total eficiência e máxima discrição. A agência é o único recurso quando a polícia não pode fazer mais nada.


Enquanto Jack e sua equipe investigam o assassinato de 13 garotas, surgem dois outros casos, bem mais pessoais. Fred, tio de Jack, procura-o pedindo ajuda com um escândalo financeiro que pode destruir a liga profissional de futebol americano. E a esposa do melhor amigo de Jack, Andy Cushman, é encontrada morta.


Com a Private, nenhum caso fica sem solução.
Os três mistérios parecem insolúveis, mas Jack conta com os melhores investigadores e com o que há de mais avançado em tecnologia – recursos que, muitas vezes, não estão à disposição da polícia. Além disso, a agência não responde a instituições oficiais, portanto, nem sempre precisa jogar de acordo com as regras.



Olá!


Sim, eu acabei caindo em uma nova série. Mas tudo bem se o próximo livro for nesse ritmo, eu vou aguardar e acompanhar ansiosamente. Sorte minha que Private é o primeiro da série Private.


O que esperar de um detetive competente, mas fechado, boa pinta, durão e que as mulheres desejam? Além de levantar uma agência e ampliá-la, com filiais em NY e Europa. Ele é “o cara” kkkk


O livro é ótimo, com narrativa dinâmica, capítulos curtos e sem enrolação. Até na hora de resolver um caso amoroso é prático sem “nhê nhê nhê” , como um livro policial deve ser. Segundo nosso protagonista:


"Sente-se. A história é longa, mas é boa" pág 9


Jack ao visitar o pai na prisão, esperava já aquela dor de cabeça, mas se depara com uma oferta do pai de reativar a agência Private e mais 15 milhões que ele guardou num paraíso fiscal, e largar a agência que ele trabalha no momento, a Prentiss. Ah, o pai era abusivo e também dava uns corretivos na mãe dele, além de incentivar uma competição entre ele e seu irmão gêmeo, Tommy. Olha só que meiga a visão de Jack do paizinho dele ( ha ha).


“Meu pai era um desgraçado mentiroso e manipulador, mas conseguiu despertar minha curiosidade” pág 9


Algumas semanas depois o pai é morto na prisão e ele herda a Private, que só lida com pessoas do jet set, ou seja famosos, astros do cinema, do rock, políticos etc. Com uma equipe especializada e recursos praticamente infinitos de dar inveja a qualquer CSI.


A equipe formada por Jack, seu amigo e ex combatente Del Rio, Emilio Cruz, Justine a psiquiatra perita em perfilar, Sci que está mais para o cientista doidão e a Mo-bo, especialista em computação. Com métodos nada tradicionais e amparados pela alta tecnologia e cobrando uma taxa estratosférica, estão cuidando de três casos complexos. O assassinato de Shelby ( ex de Jack e apresentada por ele ao amigo), esposa de Andy, seu melhor e mais antigo amigo, uma suspeita de fraude nos jogos da NFL ( liga de futebol americana) também díficil de resolver e que tem como cliente seu tio Frank ( que é como um pai para ele) e os casos em parceria com a polícia, envolvendo os assassinatos de 13 meninas e supostamente executaods por um serial killer que não mantém um modus operandi , o que é incomum.


E ainda, Jack ( que já teve um affair com Justine, não deu certo pois ele é fechado, mais ainda rola um clima) está atormentado com pesadelos que o remetem a seu último dia no Afeganistão, onde ele “morreu”e foi reanimado, e tendo de lidar com uma ameaça diária em forma de telefonema: -Você está morto. É muita pressão, imagine então tudo isso permeado de intrigas, envolvimento com a máfia, um irmão gêmeo “do mal”, descobertas e revelações que mudarão todo o rumo dos acontecimentos.


Esse trecho da conversa de Jack e Tommy ( o gêmeo mau) é interessante:


“Você nunca tem dor de cabeça? Essa auréola apertando suas orelhas o tempo todo…


- Na verdade, tenho sim. Você deveria deixar de ser o gêmeo mau de vez em quando. Seria legal." pág 113


É isso, James Patterson com maestria nos envolvendo em mais uma de suas tramas.


O próximo da série é Private : Missão jogos olímpicos. Aguardo ansiosamente.


Recomendo.


Por Rosana Gutierrez



Depois de comentar, preencha:


Formulário

Comente com o Facebook:

3 comentários :

  1. Nossa, quantos casos para o protagonista resolver junto com sua equipe! Mas como boa leitora apaixonada por romance policial é um prato cheio rsrs. Também achei interessante esse trecho colocado na resenha entre o Jack e o irmão gêmeo dele. Parece uma história envolvente, que te prende. Vou pesquisar mais sobre a série, valeu pela dica!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. ELIZABETH MACHADO SALLES15 de abril de 2015 06:50

    Realmente essa série vale a pena ler. A trama é envolvente e cheia de adrenalina. Fiquei encantada com o desenrolar da história. Não conseguia parar de ler. E acabei me apaixonando pelo personagem. Ansiosa pelos outros.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Me sinto muito mal cada vez que leio um elogio aos livros do James Patterson. Não sei, mas a leitura não flui comigo. Acho a narrativa arrastada, cheia de descrições. Mas me prometi que tentarei novamente, só não sei qdo hahahahahaha

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados