Resenha: Argo - Antonio Mendez e Matt Baglio

19/03/2015

ARGO_1349544285B

Argo
Antonio Mendez e Matt Baglio
Ano: 2012 / Páginas: 256
Idioma: português
Editora: Intrínseca




Em 4 de novembro de 1979, os funcionários da embaixada dos Estados Unidos em Teerã são surpreendidos pela invasão de um grupo de militantes, que faz 52 reféns. Em meio à confusão, seis diplomatas conseguem escapar e encontram refúgio na residência do embaixador do Canadá. Mas Tony Mendez, especialista em disfarces da CIA, sabe perfeitamente que é apenas uma questão de tempo até que sejam encontrados. Para retirá-los do país, ele concebe um plano muito arriscado, digno de cinema. Disfarçando-se de produtor de Hollywood e apoiado por um elenco de agentes secretos, falsificadores e especialistas em efeitos especiais, Mendez viaja para Teerã a pretexto de encontrar a locação perfeita para um falso filme de ficção científica chamado Argo. Neste livro, ele revela todos os detalhes da complexa operação que aliou o alto escalão de Hollywood ao mundo da espionagem.



Para iníco de conversa, espionagem é um dos meus gêneros favoritos! Se é o seu também, pegue o livro, acomode-se e prepare-se para uma história de tirar o fôlego. O livro já me encantou, e o filme ainda não assisti, mas soube por amigos que é muito bom.


A história do livro é um relato de Antonio Mendez, um ex-agente da Cia, ou seja, baseado em fatos reais, sobre uma operação “de resgate” de seis diplomatas, no Irã.


O quadro é o seguinte: fim dos anos 70, os EUA apoiavam o xá Mohammad Reza Pahlevo que não era apreciado pelo povo ( novidade os EUA fazerem algo assin, não?) e quando ele saiu do país os EUA deram asilo político para ele e negam devolvê-lo para ser julgado, Khomeini que assumiu o poder não aceita o que os EUA fizeram, corta relações com e os iranianos invadem a embaixada dos EUA em Teerã fazendo reféns 66 funcionários do governo americano. Na confusão seis diplomatas conseguem fugir e ficam escondidos na casa do embaixador canadense. A situação é tensa e se descobrirem esses seis diplomatas é morte na certa. Os funcionários que permaneceram, ficaram como reféns por 444 dias!


Assim, o agente Tony Mendez cria um plano genial – ele pretende se passar por um produtor de cinema interessado em filmar uma ficção científica no Irã, junto com mais outros agententes especializados em falsificação e até em efeitos especiais e assim os seis americanos a serem resgatados, se passariam por membros da sua equipe de filmagem. O filme de ficção é Argo ( que é a operação de resgate, a “exfiltração”). Qualquer detalhe que eu fale vai acabar com a graça da história.


Enquanto guardava os pincéis, os estágios iniciais de umplano começaram a surgir. Não precisamos apenas criar novas identidades e disfarces para os americanos. Alguém teria de se infiltrar no Irã, fazer contato com eles e avaliar sua capacidade de executar o plano.


O que posso dizer é que o ex-agente dá detalhes até demais durante a narrativa do livro. Ele começa contando que gostava de pintar mas a vida acabou o levando para CIA e tornou-se especialista em desenhos, com isso acabou especialista em disfarces. Além de narrar como foi esse “resgate”, ele cita um mundo de nomes e fatos, mescla as suas experiências pessoais, dando um ótimo panorama do que acontecia na época.Os EUA eram aliados do Irã e os apoiavam, sabiam? Talvez não muitos lembrem do Kholmeini, mas na década de oitenta víamos na tv muitos horrores associados a ele. Somos muito bem situados com a narrativa, com certeza :) E ao contrário do que é comum, os EUA no livro não são enaltecidos e o agente agradece ao Canadá que foi realmente o país que o ajudou.


É um livro sobre espionagem e ao mesmo tempo muito bom para entendermos a história do que aconteceu na época. É real. Não é como 007 bem fantasioso :) E a idéia de como “resgatar” os americanos é genial demais, você fica preso na leitura. Imperdível. Recomendo!


Por Rosana Gutierrez



Depois de comentar, preencha:


Formulário

Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. ELIZABETH MACHADO SALLES19 de março de 2015 16:43

    Não li o livro ainda, mas vi o filme. E se for uma terça parte do que assisti, com certeza vou amar. Adoro temas assim. O personagem é eletrizante e tem bastante atitude. Pelo menos no filme fiquei empolgadíssima com ele. Espero me encantar ao ler também.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Não li o livro, mas assisti ao filme. A história é muito boa e não é à toa ter ganho um Oscar. Desisti do livro qdo li numa resenha que a narrativa era arrastada. O livro preencheu minhas expectativas então não me arrependo de ter deixado o livro pra lá.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados