Resenha: Argo - Antonio Mendez e Matt Baglio

19/03/2015

ARGO_1349544285B

Argo
Antonio Mendez e Matt Baglio
Ano: 2012 / Páginas: 256
Idioma: português
Editora: Intrínseca




Em 4 de novembro de 1979, os funcionários da embaixada dos Estados Unidos em Teerã são surpreendidos pela invasão de um grupo de militantes, que faz 52 reféns. Em meio à confusão, seis diplomatas conseguem escapar e encontram refúgio na residência do embaixador do Canadá. Mas Tony Mendez, especialista em disfarces da CIA, sabe perfeitamente que é apenas uma questão de tempo até que sejam encontrados. Para retirá-los do país, ele concebe um plano muito arriscado, digno de cinema. Disfarçando-se de produtor de Hollywood e apoiado por um elenco de agentes secretos, falsificadores e especialistas em efeitos especiais, Mendez viaja para Teerã a pretexto de encontrar a locação perfeita para um falso filme de ficção científica chamado Argo. Neste livro, ele revela todos os detalhes da complexa operação que aliou o alto escalão de Hollywood ao mundo da espionagem.



Para iníco de conversa, espionagem é um dos meus gêneros favoritos! Se é o seu também, pegue o livro, acomode-se e prepare-se para uma história de tirar o fôlego. O livro já me encantou, e o filme ainda não assisti, mas soube por amigos que é muito bom.


A história do livro é um relato de Antonio Mendez, um ex-agente da Cia, ou seja, baseado em fatos reais, sobre uma operação “de resgate” de seis diplomatas, no Irã.


O quadro é o seguinte: fim dos anos 70, os EUA apoiavam o xá Mohammad Reza Pahlevo que não era apreciado pelo povo ( novidade os EUA fazerem algo assin, não?) e quando ele saiu do país os EUA deram asilo político para ele e negam devolvê-lo para ser julgado, Khomeini que assumiu o poder não aceita o que os EUA fizeram, corta relações com e os iranianos invadem a embaixada dos EUA em Teerã fazendo reféns 66 funcionários do governo americano. Na confusão seis diplomatas conseguem fugir e ficam escondidos na casa do embaixador canadense. A situação é tensa e se descobrirem esses seis diplomatas é morte na certa. Os funcionários que permaneceram, ficaram como reféns por 444 dias!


Assim, o agente Tony Mendez cria um plano genial – ele pretende se passar por um produtor de cinema interessado em filmar uma ficção científica no Irã, junto com mais outros agententes especializados em falsificação e até em efeitos especiais e assim os seis americanos a serem resgatados, se passariam por membros da sua equipe de filmagem. O filme de ficção é Argo ( que é a operação de resgate, a “exfiltração”). Qualquer detalhe que eu fale vai acabar com a graça da história.


Enquanto guardava os pincéis, os estágios iniciais de umplano começaram a surgir. Não precisamos apenas criar novas identidades e disfarces para os americanos. Alguém teria de se infiltrar no Irã, fazer contato com eles e avaliar sua capacidade de executar o plano.


O que posso dizer é que o ex-agente dá detalhes até demais durante a narrativa do livro. Ele começa contando que gostava de pintar mas a vida acabou o levando para CIA e tornou-se especialista em desenhos, com isso acabou especialista em disfarces. Além de narrar como foi esse “resgate”, ele cita um mundo de nomes e fatos, mescla as suas experiências pessoais, dando um ótimo panorama do que acontecia na época.Os EUA eram aliados do Irã e os apoiavam, sabiam? Talvez não muitos lembrem do Kholmeini, mas na década de oitenta víamos na tv muitos horrores associados a ele. Somos muito bem situados com a narrativa, com certeza :) E ao contrário do que é comum, os EUA no livro não são enaltecidos e o agente agradece ao Canadá que foi realmente o país que o ajudou.


É um livro sobre espionagem e ao mesmo tempo muito bom para entendermos a história do que aconteceu na época. É real. Não é como 007 bem fantasioso :) E a idéia de como “resgatar” os americanos é genial demais, você fica preso na leitura. Imperdível. Recomendo!


Por Rosana Gutierrez



Depois de comentar, preencha:


Formulário

Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. ELIZABETH MACHADO SALLES19 de março de 2015 16:43

    Não li o livro ainda, mas vi o filme. E se for uma terça parte do que assisti, com certeza vou amar. Adoro temas assim. O personagem é eletrizante e tem bastante atitude. Pelo menos no filme fiquei empolgadíssima com ele. Espero me encantar ao ler também.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Não li o livro, mas assisti ao filme. A história é muito boa e não é à toa ter ganho um Oscar. Desisti do livro qdo li numa resenha que a narrativa era arrastada. O livro preencheu minhas expectativas então não me arrependo de ter deixado o livro pra lá.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Atenção

Oi gente, o blog ganhou um layout novo e como eu migrei do wordpress para o blogger, os posts antigos estão muito bagunçados. Toda mudança gera uma bagunça e não seria diferente por aqui.
Irei arrumando os posts sempre que eu tiver um tempinho, conto com sua compreensão.

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados