Resenha: Os segredos de Colin Bridgerton – Julia Quinn

11/01/2015

OS_SEGREDOS_DE_COLIN_BRIDGERTON

Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres.


Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade.


Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum.


Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente.


No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz.



- Eu já tinha ótimas expectativas sobre Colin, o Bridgerton #3, “bem humorado e encantador”. Afinal de contas, já tinha vivenciado interações deles com os protagonistas dos outros livros. A irmã Daphne, com quem era mais próximo em idade (apenas 1 ano de diferença) e os pitacos nas histórias dos irmãos Anthony e Benedict. Sendo que em “Um perfeito cavalheiro”, Colin passa por uma daquelas situações constrangedoras além da conta (com a qual você se identifica porque todo mundo já passou por um perrengue semelhante). As consequências desta cena aparecem aqui, entre os vários pontos do “relacionamento” dos dois personagens, que passa da amizade para o amor.


- Penélope tinha sido uma das meninas invisíveis desde a primeira temporada. A alta sociedade não perdoa quem não está no padrão de beleza. Penélope foi apresentada quando estava acima do peso e, para piorar, se tornou vítima das escolhas de cores infelizes da mãe, que nunca a favoreciam. Após anos sendo vítima do deboche dos “populares” e da “pena” e afeição dos Bridgertons, ela não conseguiu um pretendente e a mãe já vislumbrava o futuro de tê-la ao lado na velhice (e não por amor). O que falta de graça e beleza (para os padrões bocós da alta sociedade inglesa), não falta em esperteza e inteligência. Tanto que Penélope é a única jovem a quem a temida Lady Danbury respeita. No entanto, nem isso compensa porque algumas cicatrizes que o patinho feio ganhou pela vida social não somem facilmente. E desde a adolescência, ela era apaixonada por Colin, um dos irmãos de Eloise, a melhor amiga. Mas para ele, ela era apenas o objeto de uma afeição quase fraternal que, às vezes, beira a pena pela vida à margem de onde as favoritas e favoritos sociais brilhavam.


- No entanto, após retornar da mais recente viagem, Colin estava em um estado de espírito inesperado. Ele se sentia insatisfeito, como se precisasse de algo que ainda não houvesse identificado o que era. Ver a felicidade conjugal de quase todos os irmãos, ser pressionado pela mãe a ser o próximo a se casar não o ajudavam neste momento de dúvidas. E rever Penélope em momentos onde foi forçado a ter um novo olhar para com ela também não ajuda.


- Para agravar, Lady Danbury lança o desafio de propor uma caçada à misteriosa Lady Whistledown, prometendo um prêmio para quem revelasse a identidade da famosa colunista social que há anos brindava a sociedade com um olhar crítico e agudo sobre o que havia de melhor e de pior nela. Todos se tornam suspeitos e as consequências passam a ser imprevisíveis.


- É um livro charmoso, divertido, que mostra em momentos delicados, engraçados e tocantes como as pessoas sempre podem ser mais do que aparentam, para bem ou para mal. E que os patinhos feios merecem mais que sonhar, encontrar os príncipes encantados que os complementem. E que os príncipes encantados nem sempre são a solução para todos os problemas, mas podem ser mais que companheiros para quem vivia na solidão e nas sombras. Além disso, eu duvido que alguém não gostaria de entrar para a família Bridgerton que sempre nos encanta com sua dinâmica entre mãe e filhos, irmãos mais próximos em idade, irmãos mais distantes em idade, irmãos casados ou não. Este livro é uma delícia de ler.


- É uma overdose de fofura, como todos merecemos em nossas vidas, especialmente em semanas difíceis. Eu sabia que tinha motivos para gostar do Colin e minha intuição não se enganou. Ao lado do Benedict, ele é meu irmão favorito. Amo os dois por igual por motivos diferentes, detalhes que os tornam especiais. Ah, e não fui a única. O livro causou uma crise hardcore de piriguetagem da 3ª idade – siiiiim, #madrehooligan falou sem parar sobre todas as virtudes do Colin em um dia que cheguei do trabalho praticamente disposta a desabar na minha cama e ficar por lá por dias. Ela quer Colin pra ela! Ah, quer um Benedict também. O Anthony ela não quis porque achou muito sério (eu diria que o filho mais velho sempre se lasca, desde o Antigo Testamento, mas era um daqueles dias que não tinha força nem pra argumentar e achei melhor desistir de discutir...). Enfim, que venha a Eloise (só em 2015, segundo publicação nas redes sociais da editora!!!)...


... e eis aqui o momento do pesar. Mais uma vez me estressei para comprar o livro (aconteceu o mesmo com Bem-casados e com Álbum de Casamento). Comentei isso com algumas amigas e vou expressar aqui a minha opinião. Como legítima escorpiana, tenho como meta de vida não fazer promessas que não posso cumprir. Em todo canto das redes sociais, o lançamento do livro estava prometido para 5 de agosto. Pergunta se tinha nas lojas (e eu fui à Leitura e à Saraiva, porque não sou muito fã de comprar pela internet – só recorro a isso nos casos onde não há outra opção)? Nem sombra. A previsão era de chegar em até 15 dias, que também não se cumpriu! Só apareceu depois, praticamente no fim do mês. Oi? A Rosana conversou na editora durante a Bienal e soube que também há parcela de culpa das livrarias. O problema é: e eu, como fico (além da cara de tacho)?


Por isso, eu queria pedir para as editoras e livrarias entrarem em um acordo e só prometerem o que vão cumprir. Porque ao não entregar na data prometida, além de causar estresse nos vendedores e raiva nas clientes, ainda gera o desencontro. Quando consegui comprar o livro do Colin, só havia dois no estoque. Um veio para casa comigo. Grandes chances de alguém ter sobrado nesta “dança das cadeiras”. E eu, acho que aprendi direitinho a minha lição!


Por Beta Oliveira


1. The Duke and I (2000) - O Duque e Eu – Daphne Bridgerton e Simon Basset.
2. The Viscount Who Loved Me (2000) – O Visconde que me amava – Anthony Bridgerton e Kate Sheffield
3. An Offer from a Gentleman (2001) – Um perfeito cavalheiro – Benedict Bridgerton e Sophie Beckett.
4. Romancing Mr. Bridgerton (2002) – Os segredos de Colin Bridgerton – Colin Bridgerton e Penelope Featherington.
5. To Sir Philip, with Love (2003) – Para Sir Philip, com amor* - Eloise
6. When He Was Wicked (2004) – O conde enfeitiçado * - Francesca
7. It's in His Kiss (2005) – Um beijo inesquecível* - Hyacint
8. On the Way to the Wedding (2006) – A caminho do altar* - Gregory
* De acordo com a cronologia publicada no livro, os títulos são provisórios.

 

Depois de comentar, preencha:


Formulário

Comente com o Facebook:

4 comentários :

  1. Eu adoro o Colin ele é um dos meus favoritos.
    Eu ja tinha lido em ebook a muito tempo atras e claro que ja tenho o meu nas mãos,
    muito fofo e a mocinha é forte, nao acho ela boba..como acho outras rsrs.
    O atraso em publicações é normal, eu ja nem corro mais atras assim que sai...ja me extressei muito.
    Tomara que o proximo não demore,
    beijos.

    ResponderExcluir
  2. Ai, Deus, vamos lá: que trabalho belíssimo Julia Quinn fez com esta série, não é? Vem ultrapassando expectativas com esta família linda, engraçada e louca. Até agora só o Duque e Eu e AMEI!!! Colin, pelo menos pra mim, é o mais aguardado por tudo o que já aconteceu desde o primeiro livro ♥

    ResponderExcluir
  3. Julia Quinn é definitivamente uma das autoras que mais quero "conhecer".
    Sempre gostei de escrever e contos históricos eram a minha predileção, sem dúvidas. Porém, nunca li nenhum romance histórico. O que é uma pena, já que leio elogios a este gênero literário (muitos deles dedicados a essa série em especial). Gosto muito de enredos lineares, que contam a história de pessoas próximas em diversas perspectivas. "Quarteto de Noivas" é um que gosto muito, pois as amigas proprietárias da Votos são incríveis, independentes e astutas, além de terem um elo de amizade maravilhoso.

    ResponderExcluir
  4. Não tem como não se apaixonar por essa série.
    Vale muito a pena ler.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Feliz dia!!!

Mais Recentes

Cadastre seu email

Você quer receber as postagens do CODINOME por e-mail? Então, inscreva-se aqui.

Em seguida, é preciso ativar a assinatura na mensagem de confirmação que vocês receberão em nome do Google FeedBurner.

Link Me!

CODINOME LEITORA

Codinome: Leitora - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados